Posts Tagged ‘história’

As gerações, as rebeldias, as mudanças, as ordens

Há quem faça da história um desfilar das hierarquias. Procuram as chamadas idades das fortunas e elegem gerações insuperáveis. Cria-se uma nostalgia doentia. Qualquer amargura é logo colocada no estaleiro. O passado passa a ganhar fôlego e o mundo se fragmenta. Voltam-se aos delírios do progresso , só que pelo lado avesso. A questão da simultaneidade […]

Read the rest of this entry »

O coração batendo no vasto corpo do mundo

Enterrem meu coração na curva do rio, título do livro de Dee Brown que critica a história oficial e reler as aventuras dos índios norte-americanos, com interpretações marcantes. Coloca dúvidas nas versões conhecidas e exibidas nas salas de cinema. Quem não as viu? Preconceitos e violências  devem ser denunciados. Eles compõem as colonizações internamente, não […]

Read the rest of this entry »

Passeatas, culturas, confrontos, resistências

As verdades somem ou sofrem abalos marcantes. As relações sociais são históricas, não se fixam e ganham o leito da eternidade. Muita gente esquece a transitoriedade da vida e da convivência. Evita se envolver com redefinições constantes.As inquietudes  trazem divergências. A dificuldade do julgamento sacode o bem-estar monótono das instituições. As regras se estabelecem, mas é imposível […]

Read the rest of this entry »

As drogas conectam violências com desamparos

A violência não é incomum, não escolhe período histórico para se estabelecer. Ela muda suas formas, mas permanece destruindo sociabilidades. Ela possui muitos significados. O espaço é pequeno para nomeá-los e discuti-los amplamente. Nos tempos da Aristóteles, havia disputas, conflitos, guerras. O século XVIII conviveu com revoluções e estimulou transformações políticos. Havia desejo de derrubar […]

Read the rest of this entry »

A construção da cultura, as costuras do medo

Num mundo que prefere a segurança à justiça, há cada vez mais gente que aplaude o sacrifício da justiça no altar da segurança. Nas ruas das cidades são celebradas as cerimônias. Cada vez que um deliquente cai varado de balas, a sociedade sente um alívio na doença que a atormenta. A morte de cada malvivente […]

Read the rest of this entry »

O refazer da política, o fluir do desejo

                  Fail Shell, LulzSec, Anonymous são nomes estranhos, porém com eficácia nas travessuras da internet. Fazem ataques aos sites dos governos e das multinacionais, provocando transtornos e revelando sigilos. Surpreendem. Seguem estratégias inteligentes, colocam poderosos na defensiva e agem acompanhando as trilhas da globalização. Causam suspenses. Deixam esquemas de corrupção tensos e ameaçam, sempre, os […]

Read the rest of this entry »

O sigilo mora no banco da praça anônima

            Não revele todos seus segredos mais íntimos. Saiba guardá-los, sem contudo criar sepultamentos. Podem surgir situações diferentes e as mudanças afetivas  inquietam. Há ritmos, pesos, esconderijos. A vida é complexa, porque as travessias não cessam de pedir longas caminhadas. Nem sempre sobra fôlego e os abismos se apresentam no meios das travessias. O domínio […]

Read the rest of this entry »

O mundo instituído e suas reinvenções

Não há caminhos definidos para sempre. Olhando a história, vemos que as mudanças se dão e renovam as ordens estabelecidas. O ritmo de cada época confunde e cria avaliações que podem firmar anacronismos. O que representa ordem para o catolicismo medieval difere do que pensam os rebeldes socialistas do século XX. Mesmo analisando um grupo, as […]

Read the rest of this entry »

O progresso e o futuro na dança dos sentidos

Discute-se se há um sentido para história. Há divergências que afetam sua pretensa cientificidade. A questão do tempo é fundamental. O costume de criar relações de causas e consequências foi forte durante uma época. Tudo se amarrava, sem problemas. A história ganhava um conteúdo e parecia coerente nos seus andamentos. No entanto, a linearidade esconde muita coisa. […]

Read the rest of this entry »

A violência permanente: o descuido com o outro

Seria ótimo não falar de violência. Somos animais sociais, mas destruímos outros parceiros das formas mais diversas possíveis. Fica difícil visualizar que racionalidade nos pertence em um mundo tão repleto de ambiguidades. A sociabilidade é a base para construção da cultura. Ela traz conflitos e proximidades. Os conflitos têm se acirrado e os espaços de […]

Read the rest of this entry »