Posts Tagged ‘história’

As palavras mudam o mundo e contam as histórias

               A linguagem tem sua história.Existe alguma coisa humana que não tenha sua história? É uma pergunta fatal. Talvez, alguém conheça o outro lado e surpreenda com uma descoberta. Pode ser. Não vamos bailar na ortodoxia dos oniscientes. As palavras mudam de lugar e de sentido. Na contemporaneidade, tão assaltada por invenções, os nomes surgem, […]

Read the rest of this entry »

As andanças silenciosas do capitalismo

              Ninguém nega a globalização. É assunto presente, em todas as notícias que mostram como o mundo está interligado. As novidades chegam rapidamente. O que assusta é a falta de fôlego, para saber das coisas e buscar ultrapassar certas manipulações. Nem tudo é uma mal permanente. No entanto, a globalização responde às urgências do capitalismo. […]

Read the rest of this entry »

O jogo refaz a brincadeira e atiça a astúcia

Se cada dia retomasse o outro, integralmente, o mundo se despovoaria. Temos que tocar no que passou, recorrer às lembranças. E as experiências que atravessam as circunstâncias e o movimento dos desejos ? O vaivém é comum. Mostra que as identidades são construídas. Nada de cimentá-las. Há sempre espaços para ensaiar ousadias e redesenhar antigas imagens. […]

Read the rest of this entry »

A história e a perfeição, Romário e a política

Afirmar que a perfeição é a negação da história deixa muita gente desandando. Parece uma parceria com o absurdo. Mas não há como negar a nossa incompletude. Buscamos sempre. A felicidade não se concretiza, depois de séculos de culturas e descobertas. Vivemos num equilíbrio instável, como disse Freud. O bom é que a história continua. Não […]

Read the rest of this entry »

A armadilha tem preço: o foco da bola mascarada

Olhar o mundo. Mas qual é foco? Perceber a totalidade é impossível. Afirmar que tudo é uma confusão de fragmentos, mal coordenados, apaga a alegria. Evitar o brilho das cores, negar a linguagem dos objetos, disfarçar a solidão das estrelas tardias, nada disso traz ânimo para seguir adiante. Continuo apostando no entrelaçamento, nas costuras dos atos. […]

Read the rest of this entry »