Posts Tagged ‘histórias’

Anjo azul: existências

Há uma anjo azul no telhado da esquina. Sente-se abandonado, busca afeto de um paraíso esquecido. Há pessoas perdidas na avenida central, correm desesperadas com medo dos mendigos. Há criança esfomeado na rua sem saídas, desencontrada com a vida, pede brinquedos. Há amores vazio, celebrados inutilmente, com festas brilhantes no motel decadente. Há mentira montada […]






Share Read the rest of this entry »

Leituras do mundo: Gabriel, Piazzola, Auster, Belchior

A palavra mundo possui uma magia. Busco significados e não encontro. Há mistérios, perplexidades, labirintos. Todo o dia conversamos sobre o mundo. Surgem descobertas, frustrações, expectativas. As mudanças existem, mas não esqueça os disfarces. Soltaram-se as interpretações de todas as cores. O mundo voa, como pássaros agoniados, e descansa, como gigantes pesados. A escrita não […]






Share Read the rest of this entry »

Histórias e Andanças

    O encontro da luz e da sombra testemunha a incerteza da vida. Os fantasmas são demônios  viajantes e os anjos, flutuações do azul abandonado. Os andares trôpegos deixam vestígios tortos. a agonia do fim costura a despedida dos deuses vencidos pelos paraísos desabitados e secos. A velocidade me custou o sonho de beija-flores […]






Share Read the rest of this entry »

Enigmas da vida, histórias soltas

  O tempo vai passando e as medidas que temos dele sempre são complexas. Fico pensando se tudo não está entrelaçado, com invisibilidades infinitas. Há muitos enigmas, muita especulação sobre as verdades e os valores, mas tudo se apresenta de forma caótica ou extremamente organizada.  Somos companheiros das contradições? Talvez. Debatemos. procuramos sentir o caminho […]






Share Read the rest of this entry »

As palavras e as políticas : polêmicas acesas

  Os debates e as conversas mudam e não se envolvem com ritmos permanentes. Muitas coisas vão e voltam, outras são esquecidas, mas não há com deixar de lado as  conversas ou mesmo multiplicar ansiedades em cima de um futuro problemático. O mundo cheio de gente e de invenções, com meios de comunicação poderosos, agita-se […]






Share Read the rest of this entry »

Políticas, navegações, histórias

  Não se acostume com as verdades. Elas têm vida curta. Hoje, há discursos especializados que postulam garantir certezas.É bom observar que as mudanças são imprevisíveis. Os saberes pretendem, muitas vezes, substituir as crenças religiosas. Causam confusões, aproveitam-se de ingenuidades, cobram fidelidades. Não existem clarezas definitivas. A dúvida é companheira da história. Não significa que […]






Share Read the rest of this entry »

A vida e o circo

Há uma memória guardada no silêncio e o desejo ardente de envitar exílios. As histórias não se mostram sem mistérios e os sentimentos lembram tempos imaginários. A vida se veste com a instabilidade de cotidianos travessos, não há sossego para quem se esconde para além da magia. Os corpos se encolhem com medo do tardio […]






Share Read the rest of this entry »

O jogo da política e os tempos históricos: 1789 e 1968

As polêmicas não se encerram e constituem companhias da sociedade. Na modernidade, eles persistem com insistências. A população cresceu, assustadoramente, há uma diversidade de culturas e conflitos, estamos muito distantes de formular teorias que se aproximem e façam cessar as divergências. A fragmentação ganha espaço, não só nos debates acadêmicos, mas também nas conversas cotidianas. […]






Share Read the rest of this entry »

Assanhamentos

                                                                                                     Há o encanto que não se diz com palavras. provoca sonhos nos olhares e arrepios na imaginação. Há vidas que se perdem nos desertos divinos, como pássaros com voos sem destinos. Cada desenho conta uma história imprecisa, não cabe decifrá-lo, nem esquecê-lo, mas se desfazer das agonias. Somos simplesmente tardios e imprevisíveis, contamos […]






Share Read the rest of this entry »

Sertão, sertões: significados soltos

Há lugares que estão repletos de incontáveis significados. Por que não observá-los? Por que não balançar as subjetividades, distraí-las com as possibilidades de transcendências, de flutuar nas fantasias do tapete mágico? Por que ficarmos presos a estigmas e imagens desbotadas? Quem ousa desprezar os significados e riscar as aventuras fabulosas das  1001 noites de Scherezade? […]






Share Read the rest of this entry »