Posts Tagged ‘identidade’

Somos nômades e anônimos

Quando se anunciou que a globalização se definia,muitos imaginaram que haveria um pacto mundial. As diferenças culturais sempre existiram. Não é incomum que desconheçamos hábitos que estão próximos. A sociedades se veste de complexidades que nunca serão extintas. A globalização trazia uma tecnologia mágica. Quem antes escrevia uma carta, hoje se envolve com o facebook, […]

Read the rest of this entry »

As identidades múltiplas e confusas

Não há como prever sentidos numa sociedade múltipla, agoniada com suas culturas de cores indefinidas. Tudo se mistura. Buscamos referências na histórias que vivemos.Mas adianta cultivar memória pessoais. A solidão não é o fim da sociabilidade. É um momento que indefine saídas e produz controvérsias. Não damos conta do que pensamos com segurança, nem temos […]

Read the rest of this entry »

Quem se esconde no tempo e na história?

  Debater sobre o tempo é sempre acirrar polêmicas. O historiador não pode recusar que existem tradições, envelhecimentos, aventuras, desprezos… Os sentimentos passam, as arquiteturas mudam, as escritas significam palavras. As mudanças são visíveis. Estamos acostumados com os calendários, não dispensamos os relógios, os números dos segundo nos cercam. Quantos séculos de histórias vividas, quantos […]

Read the rest of this entry »

Milan Kundera: imaginando a vida e o amor

Kundera é autor conhecido. Quem nunca o leu? Possui escritos admiráveis, coloca-se politicamente, sacode tradições e questiona os caminhos da vida. Recentemente, fiz uma viagem no seu livro A Identidade. Momentos de aventuras, reflexões, fantasias. Suas histórias impressionam, seguem abismos e desertos, surpreendem, inventam outras interdições. São parcerias com a multiplicidades que nos cerca. Estamos […]

Read the rest of this entry »

Identidades, saberes,fragmentações, buscas

Definir-se é uma questão. Ela nos acompanha, não se ausenta. A busca de referências faz parte da construção da cultura. As instituições não podem andar soltas, como se o acaso as dirigisse sem regras ou fronteiras. Há muitas coisas que desafiam. Não é exagero pensar que não damos conta de tantos saberes e seria impossível […]

Read the rest of this entry »

As peregrinações do nomadismo flutuante

Sou nômade. Moro no aeroporto. É lá que me torno um pouco sedentário. Leio no avião e cochilo nas poltronas vazias, nem percebo que o tempo passa. Não uso relógio e estou trancado em algum lugar do qual percebo, apenas, fragmentos. Não me ligo às notícias de tempestades. Gosto de voos sossegados. Tanto faz chegar ou […]

Read the rest of this entry »

O dança do cisne alucina e confunde

Freud abriu territórios. Incentivou voos. O passado estimula fantasias, traz seus mitos e  faz olhar o universo com variadas interpretações. Não vamos imaginar uma sociedada despida de desejos e voltada, sempre, para uma realidade anêmica. A psicanálise assanhou muito a ordem subjetiva e a busca de compreender a multiplicidade humana. Desfez verdades seculares e relativizou, mais ainda, os […]

Read the rest of this entry »

Brincadeiras de vida/morte no descuido do outro

                     Viver é multplicar-se. A identidade de cada um não está parada. Ela se espelha nos outros, mas se firma nos seus atos de autonomia. A queda  constante das certezas e o aumento do consumo dos descartáveis influenciam nas descobertas da vida. Portanto, a identidade se movimenta, jamais adormece na monotonia de um único […]

Read the rest of this entry »