Posts Tagged ‘ilusão’

Ler o mundo sem descuido

    Os livros ajudam a decifrar mistérios. No entanto, o importante é se centrar no cotidiano. Observar que o desequilíbrio contínuo se prolonga. Não há como se divertir com tantas tragédias e os descuidos do poder prevalecem. Estamos encurralados, cheios de medo, aflitos com a insegurança generalizada. Existem assaltos violentos, notícias, enganações políticas, milícias […]

Read the rest of this entry »

As aventuras e os amores

Desenhe os caminhos escondidos da vida, não trema, nem vacile, medite com ânimo. Siga o caminho com mais curvas, evite a reta, o sentimento despojado. Ande sem temer o fantasma do eterno, deixe os anjos levitarem anônimos. O amor não se encontra na esquina, nem se faz na solidão do banco da praça. O amor […]

Read the rest of this entry »

O vasto mundo dos traços

Não deixe a página em branco solta na mesa como um esponja. Abandone a sua preguiça e escreva a sua ultima perda como o roteiro de um filme, sem usar máscaras, sem derramar lágrimas, sem destilar melancolias, sem medos. As histórias existem para ser contadas e celebradas, com fantasias inesperadas. apesar das incertezas que correm […]

Read the rest of this entry »

Quem vive sem as profecias e as ilusões?

O tempo está sempre nos cercando. Ficamos contemplando a sua passagem, sem saber defini-lo, mas sentindo que o corpo envelhece e que a sociedade procura outros comportamentos. Não seria exagero afirmar que tudo possui uma idade. Há costumes seculares. Há convivências rápidas que nem deixam vestígios. Nem todo perdão significa esquecimento. Não fugimos de confusões […]

Read the rest of this entry »

Não pense, apenas, no sonho do paraíso(II)

A perigosa e famosa ideologia do progresso nos acenou com a ideia de um tempo que avança e pode trazer vantagens sociais profundas. Teve repercussões imensas. Mascarou muitos desmandos. Vestiu-se com as roupas da tecnologia para vender benefícios. Esqueceu as ambiguidades que compõem a sociabilidade. Criar um mundo de harmonias configuradas, radicalmente, é uma ilusão. […]

Read the rest of this entry »

O mercado e a vida

                       A mercadoria se mostra na vitrine deslumbrante,              dos pecados anônimos e passageiros.               É soberana e não admite lembrança perdida.               Traça a estrada da sedução, a saída astuciosa da dor.                A vida se reparte em compras e trocas, em enganos infantis.                O tempo é esquecido na primeira esquina, no […]

Read the rest of this entry »

A exaltação da quantidade, a perda da leveza

Quem escreve se comunica e recebe respostas, mesmo indiretamente. A escrita é uma longa conversa. Passa pelos movimentos do eu e suas questões. Somos, então, nossos primeiros leitores. Ficamos perplexos com afirmações que saem lá de dentro. Estavam trancadas, escondendo rebeldias ou decepções. Por isso, há raciocínios que se repetem. Os incômodos não abandonam quem […]

Read the rest of this entry »

A natureza não se acomoda aos projetos humanos?

Ninguém desconhece a força de dominação da ciência. Ela interfere nos detalhes da vida social. Não só os privilegiados se articulam com as invenções e as descobertas que se multiplicam sem intervalos. Mesmo nos recantos, considerados mais distantes, aparecem objetos ou sonhos que mostram desejos de partilhar dos feitos científicos. Estamos ressaltando as alianças com […]

Read the rest of this entry »