Posts Tagged ‘jogo’

O ritmo da política na casa do Big Brother

  Há temas que não sossegam. Fazem parte da  sociedade de forma profunda. Querer esvaziá-los é um perigo para sobrevivência da cultura e seus limites. Nunca devemos menosprezar os espaços da transgressão. Eles ajudam nas renovações e redefinições de dúvidas carcomidas pelo tempo. Assim é a política e toda sua complexidade. Não é, apenas, um […]

Read the rest of this entry »

O jogo é o trapézio da vida

  Perder  é chato e pode deprimir. Ganhar, sempre, provoca arrogância e estimula vaidade. Empatar é não conseguir atravessar as encruzilhadas, dançar nas inércias. O jogo é humano, invenção cultural com inúmeras histórias. É síntese de desejos e aventuras. Resume tempos. Distrai e controla. É um capitulo da pedagogia e dialoga com a multiplicidade.  Há […]

Read the rest of this entry »

A derrota é desconsolo, o futuro é o traço da lágrima

   O jogo é um dos eixos da vida. Cria possibilidades ou avança por abismos insuportáveis. Derruba otimismo e prepara insônias. O Santa Cruz estava invicto. Não segurou a onda. Perdeu para o Náutico. A derrota simboliza dúvidas e esperanças. Ambiguidades crescentes. Não só no futebol ou nos esportes, elas aparecem. Quando as vacilações se adensam, […]

Read the rest of this entry »

A invenção do método é uma saída para vida?

Descartes refletiu muito e perdeu  noites de sono. Queria superar verdades estabelecidas Tinha a razão acesa para redefinir caminhos que vinham marcando o Ocidente , desde a época de Aristóteles. Sentiu o mundo inerte? Desfazia-se em angústias de fracasso? É difícil fazer a análise do pensador francês, depois de tantos séculos. Visitar a interioridade é sempre […]

Read the rest of this entry »

O luxo da conquista faz parte do mercado da bola

  Começam a esquentar as aventuras do futebol brasileiro. Os campeonatos regionais chamam a atenção, pelas rivalidades antigas. As torcidas gostam das gozações e de recuperar histórias de glórias. O jogo não tem, hoje, uma trama tão simples como aparece. Está envolvido com muitas negociações. Funciona como uma bolsa de valores, com outras astúcias, mas dentro dos […]

Read the rest of this entry »

O amor é sorte ou escolha sutil dos deuses?

           José e Pilar é um filme de uma ternura e uma sensibilidade pouco comuns. Embora de qualidade exemplar, não teve chances de maior divulgação. É um documentário, com imagens belas e sequências comoventes. José é o famoso Saramago, escritor português de fôlego admirável. Pilar, espanhola, a paixão, ativa nos cuidados e ágil no raciocínio. Conheceram-se nas […]

Read the rest of this entry »

O tempo tem marcas e perfumes do passado

Lembro-me, quando ia ao campo de futebol, com certa frequência. Era muita diversão. Outro contexto. Antes do jogo principal, havia a chamada preliminar. Disputas entre os aspirantes aos times titulares. Lá estavam os futuros valores, na luta pela ascensão. A vibração era grande. Uma boa preparação. Liberava tensões e despertava expectativas. Não existia a famosa […]

Read the rest of this entry »

O jogo do desejo e a vida se sacudindo no mundo

O que desejam de mim? É uma pergunta que não sai da vida. Pensar o mundo, sem o outro, é um impasse. A construção do social acompanha cada passo. Não adianta se esconder, nem viajar para uma interioridade inatingível. Ela não existe. Somos vulneráveis, mesmo que as fragilidades não nos carreguem sempre para os abismos. […]

Read the rest of this entry »

A vida ensina, a contemplação aprofunda

A derrota traz o sufoco. Um gosto amargo que inquieta. Agita mais que a vitória, pois tem um movimento de retorno a lembranças desagradáveis. Não está desligada do futuro. Quando a  gente perde, o desejo de se deslocar é imediato. Talvez, em outro lugar a respiração chegue, com mais intensidade, e o tempo ganhe o fluir lúcido […]

Read the rest of this entry »

Os significados dos sentidos e a existência do absurdo

  Há palavras que são densas. Provocam debates e incertezas. O pensador Michel Foucault afirmou que a história não tem sentido. Ele quer enfatizar que ela é uma construção, não cabendo, aí, a idéia de destino, nem tampouco a pré-determinação. Vamos vivendo, tecendo as relações sociais, mas a complexidade do coletivo e suas ações culturais […]

Read the rest of this entry »