Posts Tagged ‘mentira’

No meio do mundo: as verdades e as mentiras

Há insistência na busca de verdade, desde o início da história.Existem os contrapontos. Não há uma verdade absoluta, embora muitos cantem o eterno. As suspeitas não desaparecem. As concepções de mundo se transformam de forma veloz, sobretudo no tempo que vivemos. Há dúvidas e subterrâneos  inundados por fantasias. A quantidade de meios de informações cria […]






Share Read the rest of this entry »

O deus pecador

Encerre o tempo da mentira vadia e cínica. Destrave porta que se fechou para os amores e caminhe para a janela do quarto escuro. Não acredite que a vida se esgota, nem confie no visível da casa escura. Há sempre algo escondido, tropego, na mitologia que veste o nu do cotidiano. Os fantasmas andam sem […]






Share Read the rest of this entry »

Golpe na rua principal

As sombras digitam mensagens confusas e desalinhadas. Veja as trilhas, os ruídos, o de dentro , o de fora,                                                 Falta quem diga não ou desconfie do que está escondido. observe que […]






Share Read the rest of this entry »

Não desconheça a história, nem a mentira

Estamos numa travessia que parece não ter fim. Não é primeira vez. Adão e Eva não ficaram acomodados quando desobedeceram as ordens divinas. A questão do pecado e da culpa é antiga, já vive dias de ruínas e desacertos. No entanto, não acredite que as religiões estão fulminadas.Elas prosseguem buscando adeptos e escolhendo salvações. São […]






Share Read the rest of this entry »

Leituras e sombras

Não leia a gramática da violência, nem subestime a fabricação dos discursos. Há juízes que assumem palavras vazias e descobrem que eles desconhecem o sensível. As sombras vestem as histórias confusas, indefinem a vida e enaltecem o pecado. Deite-se na imaginação da rebeldia, conte as formas das cores dos exilados, não dispense a coragem e […]






Share Read the rest of this entry »

O caos sem resposta

No caos que desmonta o infinito a mentira monopoliza os desejos sem destino. A escolha é jogo quando os valores apagam as crenças e acumulam o lixo, o espelho que prende o segredo se parte como uma escultura maldita. Não pense que cada passo é a história buscando saberes, o delírio da verdade embriagada, não […]






Share Read the rest of this entry »

Solte-se da vida e do tempo, sem largar a ficção

A história que passa não está apagada. Quem vive o presente deve saber como complementar os tempos. Não se ligue só na mudança,  nem tampouco veja a mesmice em cada espelho. Nunca gostei de dizer que o que sei é que nada sei. É imenso o mundo. Alguma coisa me toca, não vivo flutuando sem […]






Share Read the rest of this entry »

Travessias do avesso e do exílio

Desenhei a estrada que contava todas as histórias distraidamente, parecendo estar no paraíso que só existiu para encantar a serpente. Havia pedras, cinzas, lágrimas, duendes, curvas e árvores arruinadas. Não pensei que as perdas pesavam e tinham encontro com destinos absurdos, nem busquei sombras para minhas aflições flutuantes e inexplicáveis. Fiz da estrada uma travessia […]






Share Read the rest of this entry »

Alice e Nietzsche: as histórias soltas

Alice se perdeu e se encontrou no país das maravilhas. Quem desconhece a fantasia está na beira do abismo. Alice estava certa. Conversa, surpreende-se, arrisca-se. O mundo está desencantado, porque a mesmice consegue se alastrar pelos esquinas. As sutilezas são perigosas, enganam e aliciam. A capacidade de inventar é imensa dentro da cultura contemporânea.Talvez, a […]






Share Read the rest of this entry »

Entre a verdade e a mentira a notícia se faz

Consumo e comunicação são palavras poderosas. Estamos na aldeia global. Todos se sentem próximos e viajam nas fantasias das máquinas irreverentes. Elas são lançadas com promoções gigantescas. Encontram-se em São Paulo, Teresina, Singapura, Tóquio, Istambul. Correm o mundo como uma tempestade inesperada. Steve Jobs morreu, mas deixou altares. Espera-se que outras invenções surjam, como a […]






Share Read the rest of this entry »