Posts Tagged ‘mercadoria’

A afetividade confronta-se com a mercadoria

Tempo veloz. Não sei o que as pessoas pensam da corrida no final de ano. O festival de compras e presentes se estende até pelas calçadas. Poucos ficam indiferentes. É preciso acionar o desejo, juntar o ânimo e celebrar o que a sociedade dominante ordena. Nada de muitas especulações, pois a figura de Jesus está […]

Read the rest of this entry »

A mercadoria desfaz o sentido

  A sociedade está, inegavelmente, se colocando questões cruciais, porém com dificuldades de encontrar respostas. Não sejamos fatalistas, nem crucifiquemos o presente, As dúvidas sempre existiram e as culturas se fizeram buscando saídas. O sofrimento não é novo. A história não se renova, pois as repetições garantem que as aflições principais continuam. Muitas utopias e […]

Read the rest of this entry »

Bauman: a vida se dissolve e desencanta

  O tempo não tem pertencimento. Não há lágrimas que o convença a mudar sua rota. Talvez, nem ele a conheça. Vamos caminhando, de repente um abismo e tudo se finda. Difícil pensar a história, quando a abraça o desejo incontrolável. Morreu Bauman que tinha uma sensatez imensa e criticava o mundo capitalista com intensidade. […]

Read the rest of this entry »

Guy Debord: o espetáculo continua?

O livro de Guy Debord ganhou fama: A Sociedade do Espetáculo. Livro crítico que mostra os vazios e contradições que nos assustam. Dialoga com Marx, Freud e não deixa o capitalismo em paz. Denuncia que é preciso transformar, sair da exploração, pintar com outras cores à cultura.Não custa lembrar que Marx é um pensador do […]

Read the rest of this entry »

As disputas e os poderes: qual o caminho e o assombro?

A  situação da sociedade mostra que a confusão é generalizada. A falta de maiores definições sociais, a corrupção sem limites, o conflitos constantes entre as crenças assinalam que se abre um mercado cada mais amplo que traz desconfiança. Há uma aposta permanente. Prevalece a lógica da mercadoria. A minoria monopoliza e riqueza aponta que a […]

Read the rest of this entry »

O desfile das mercadorias: o capitalismo,os valores, o vírus

A multiplicidade pode ser anúncio de uma possível democracia. Espalham-se as escolhas, aumentam os debates, criam-se teorias. Mas além da abertura há manipulações. Nem tudo segue o caminho da verdade. Aceleram-se o jogo da mídia, os enganos dos negócios, a falsidade dos discursos. Não sei se o capitalismo é historicamente uma invenção que se adapta […]

Read the rest of this entry »

As revoluções adiadas, as escolhas indefinidas

A sociedade não consegue se equilibrar como desejam os mais otimistas. Criam-se utopias, as harmonias são cantadas, mas os conflitos firmam doutrinas e as instabilidades queimam corpos. Não há um mundo sem diferenças e elas trazem contrapontos. Há quem feche os olhos, trave as portas e deixe tudo se arrumar por encanto. Não se pode […]

Read the rest of this entry »

As crises comandam o espetáculo?

É difícil negar que as crises movimentam a história. A questão maior é definir quem se beneficia com as crises. Não podemos sintetizar tudo na questão econômica. As perdas são amplas, a sociedade não se reconhece no espelho que ela mesmo construiu. A lembrança da incompletude está presente. O extraordinário é um sinal de vaidade […]

Read the rest of this entry »

Anderson: o corpo, o delírio, o limite

Ganhar parece ser um destino na sociedade do espetáculo. Nem todos  merecem êxitos e milhões. Não faltam possibilidades de exibição. O capitalismo é senhor de muitas artimanhas. Traz do passado sentimentos, reinventa comportamentos, celebra religiosidades, aparentemente, desfeitas. Não se vive sem ídolos, mas os santos estão ocupando espaços. Portanto, a sociedade traça caminhos diversos, pois […]

Read the rest of this entry »

Quem se encosta nos privilégios do poder e da fama?

No mundo das comunicações velozes, as notícias circulam movidas por tecnologias das urgências. Tudo se resume ao sucesso da globalização? A coisa é mais complicada. As curiosidades são muitas. Quem não gosta de saber das novidades? Há, porém, uns escorregões que não devem ser desprezados. As transformações acontecem, mostram-se na impressa e nas redes sociais, […]

Read the rest of this entry »