Posts Tagged ‘Moro’

O caso Moro: As múltiplas informações e os desafetos

    Quem pensa que pode implantar o paraíso? São muitas informações circulando, todas cercadas de valores e de muitos sentimentos esvaziados. A razão não é nunca soberana. Isso não impede que evitemos fanatismos e não  guardemos velhas carências nos jogos da política. Os valores se inquietam e alimentam as controvérsias históricas. A sociedade não […]

Read the rest of this entry »

Desmoronamentos de astúcias programadas

    A sociedade gosta de ídolos. Quem não quer a salvação? Quando se encontra frágil busca mitos representativos das angústias. Há momento de adoração, de biografia encantadoras ,de sorrisos gratuitos.Moro apareceu como um soldado da moral. Tinha leis poderosas. Prometia inibir um figura que, para muitos, continua perigosa. Fez sua missão com aplausos. Colocou […]

Read the rest of this entry »

O jogo do poder é malicioso

  A política se despediu da ética, faz tempo. Procura servir a senhores privilegiados. Não se assuste com os projetos contraditórios. Muitos negam princípios constitucionais e consagram desmandos. Não imagine que a violência se extinguirá com uma reflexão de Moro. O sistema continua marcado por desigualdades. A fome existe de forma radical.  Brumadinho  parece um […]

Read the rest of this entry »

Sustos, políticas,divisões: os caminhos de Lula e Moro

  A sociedade se enfeitiça com os espetáculos. Ela não nega sua vocação para consagrar a mídia. Os boatos, as cenas, os gritos, as cores criam expectativas imensas. Tudo se inventa. A política se mistura com a religião. Há atos de fé, salvações desejadas, deuses enebriados pelas falas sedutoras. Vivemos uma semana de agitação constante. […]

Read the rest of this entry »

Quem precisa de um herói no Brasil fabricado?

  O Brasil sonha com infernos e paraísos. Um governo cheio de atribulações onde parece que todos tomaram uma dose excessiva de Viagra nos visita cotidianamente. Há desrespeitos contínuos. Temer  abraça a impopularidade. Sente-se uma pessoa incomum. Sempre me pergunto a quem ele serve. Não penso que tenha autonomia. As inúmeras delações podem ser ficções, […]

Read the rest of this entry »