Posts Tagged ‘mudança’

Memórias políticas, redefinições históricas

Lembro-me de março de 1964. Era ainda muito pequeno para compreender o buraco que estava se abrindo. Mas observava frustrações, vinganças, desejos de manipulação, violências. A sociedade dividida, as radicalidades minando as negociações. Havia perplexidades e, como sempre, ideias salvacionistas. Muitos falavam em uma revolução que transformaria o Brasil. Foi um movimento múltiplo e não […]

Read the rest of this entry »

Italo Calvino: os pertencimentos flutuam?

O discurso da mudança faz sucesso. A questão é saber como será sua execução. Não queremos apostar no negativo. É importante que os caminhos sejam traçados sem tergiversações. Há muitas flutuações que marcam a política, depois da disputada campanha eleitoral. Tudo tem uma velocidade espantosa  ou a quebra das tradições trazem perturbações nas escolhas dos […]

Read the rest of this entry »

Os tempos e as histórias, as mudanças e as nostalgias

Quem gosta dos sinais de revolução não suporta falar de que a história reproduz corrupções, desmantelos e falta expectativa luminosa. As notícias reforçam os ares pessimistas. Quem pensa que os dias santificados amenizam as iras e as violências fica perplexo. A famosa democracia sofre danos constantes. A modernidade muda suas ilusões. Não há com vê-la […]

Read the rest of this entry »

O amor flutua ou se desfaz como uma ruína?

Na sociedade das trocas intensas, das celebrações datadas, o amor pede e perde fôlego. O romantismo não consegue atrair tanto. Não morreu. Mobiliza sentimentos, entra nos corações, faz seus estragos. O mundo muda não só nas gestões econômicas. É que elas geram um noticiário objetivo, cheio de análises complexas que nem sempre dão certo. As especulações  […]

Read the rest of this entry »

Os tempos dos Estados Unidos e a memória inquieta

O 11 de setembro se foi? Parece que não. Há alguma coisa que se vai para sempre? Tudo não fica morando na memória, esperando o momento de se avivar? O tempo tem muitas incertezas. O presente nos acompanha. Cada instante mexe com os desejos e aciona nossa presença no mundo. Não estamos, porém, afastados do […]

Read the rest of this entry »

Narciso e Prometeu, democracia e instabilidade

As mudanças políticas não param de alterar as relações de poder. Elas estão trazendo dúvidas sobre o futuro da democracia, se ela ainda continua exercendo fascínio ou o perigo das ditaduras, ainda, assombra. As instabilidades, na história, provocam inseguranças e nostalgias. Recorde-se do Renascimento, o quanto ele dialogou com o passado greco-romano e, ao mesmo, redefiniu […]

Read the rest of this entry »

Quais as medidas e os limites das transformações ?

        A Organização Mundial de Saúde revela precupações. Quer um combate mais efetivo a AIDs. Denuncia que muitas coisas deixam de ser feitas, devido aos preconceitos contra os homossexuais. Não são poucos. Há atitudes políticas e religiosas que retomam perseguições seculares. Enquanto isso, o consumo de drogas corre solto e não se consegue desfazer o […]

Read the rest of this entry »

O ritmo da política na casa do Big Brother

  Há temas que não sossegam. Fazem parte da  sociedade de forma profunda. Querer esvaziá-los é um perigo para sobrevivência da cultura e seus limites. Nunca devemos menosprezar os espaços da transgressão. Eles ajudam nas renovações e redefinições de dúvidas carcomidas pelo tempo. Assim é a política e toda sua complexidade. Não é, apenas, um […]

Read the rest of this entry »

Ninguém aposta nas certezas de um destino?

Gosto de caminhar. Não como um exercício, com hora de partida e de chegada. Dispenso relógio. Sou um observador, daquele que se prende aos detalhes. Como não dirijo automóvel, circulo por ambientes de andarilho. Presto atenção às conversas, gestos, rostos. A curiosidade é silenciosa, mas atenta e parceira de imaginação. Nada de se retringir ao instantâneo. […]

Read the rest of this entry »

A história e a perfeição, Romário e a política

Afirmar que a perfeição é a negação da história deixa muita gente desandando. Parece uma parceria com o absurdo. Mas não há como negar a nossa incompletude. Buscamos sempre. A felicidade não se concretiza, depois de séculos de culturas e descobertas. Vivemos num equilíbrio instável, como disse Freud. O bom é que a história continua. Não […]

Read the rest of this entry »