Posts Tagged ‘multidão’

Eu me refugio, nós nos refugiamos: despertencimentos

  A sociedade continua seu cotidiano com práticas que desmontam esperanças. As notícias deixam a melancolia flutuar e as pessoas correm para o trabalho sem saber o ponto final. Todos estamos procurando refúgio, num vaivém de exclusões contínuas. Fala-se em democracia, mas a memória lembra totalitarismos constantes. É claro que as máscaras são fabricadas com […]

Read the rest of this entry »

A solidão é companheira do mundo

  Vejo multidões nos estádios de  futebol. Cantam, gritam, se emocionam. É uma grande festa com cores e geometrias inesquecíveis. Tudo parece um paraíso com celebração deslumbrantes. A festa passa. A ressaca surge. Os segredos pessoais continuam. Há sempre um retorno à solidão. Há pressa e desconforto quando o outro se aproxima. Será que vivemos […]

Read the rest of this entry »

A solidão e o desamparo: o mundo sem fronteiras

Havia uma grande expectativa com a globalização. Esperava-se que as culturas se agrupassem e soluções aparecessem para minorar as dificuldades. O discurso da fraternidade ganhou  impulso. As situações de vida não fugiram das desigualdades passadas. A violência mostra-se soberana: torcidas organizadas, comércio de drogas, disputas pelo petróleo, opressão das mídias, política cheia de cinismos. Não […]

Read the rest of this entry »

A solidão se apropria das multidões

  Não sei se vai haver apocalipse. Mas está tudo muito embaralhado. No meio de tantos acasos, há silêncios de solidões. A virtualidade trama suas amizades. Todos se comunicam com afeto programado. Como ficar encostado na beira do abismo do desespero e da ansiedade? É difícil imaginar que houvesses tantos desamparos, que a psicanálise acumulasse […]

Read the rest of this entry »

As conversas da solidão na extensão do mundo

Muita gente nos cerca. Caminhamos enfrentando olhares negativos ou indiferentes, mas também ruídos de alegrias e surpresas. O mundo tem muitas pedras e rotas que não se esgotam. Planejar é uma dificuldade. Quando partimos para viver o cotidiano, aparentemente, tão simples, ficarmos perplexos com os desacertos e o inesperado. O dia apresenta-se com novidades incomuns, […]

Read the rest of this entry »

As multidões e o consumo virtual: inquietudes cotidianas

Quase inexistem feriados como antigamente. Querer escutar o silêncio não é um desejo bem aceito nas grandes metrópoles. Há celebrações de dias santificados, de lutas conquistadas, de heróis nacionais, mas há sempre algo funcionando, uma venda, uma troca, uma cerveja, uma vadiagem pouco tensa. A cidade dividida produza certas confusões. Os bancos fecham, os shoppings […]

Read the rest of this entry »

Lá se vai mais um Carnaval

O Carnaval traz a inquietude e balança a cidade. Suas máscaras desenhadas, suas fantasias inesperadas, sua alegria flutuante se misturam com o interesse em vivenciar dias especiais, fora da mesmice. Há, porém, um grande cerco dos patrocínios e ações das políticas pragmáticas. Nem por isso, o entusiasmo se vai. O mundo é o da multiplicidade. […]

Read the rest of this entry »

A solidão não está na gaveta do quarto escuro

As multidões conduzem a história ou são conduzidas pelas artimanhas políticas? É uma questão que não sai da contemporaneidade. A população cresceu, exigindo novos modos de conviver e se relacionar com as armadilhas da existência. A aceleração é grande e  o instante da reflexão é curto. Longe estamos da época de Descartes ou dos banquetes […]

Read the rest of this entry »

O medo do gol, a multidão sem fôlego, o desejo aflito

As histórias do futebol não deixam de rondar as nossas vidas. São exemplos de como as dificuldades estão em toda parte. Não há fórmulas certas.  Seus contrapontos viajam, pelo mundo, sem encontrar portos seguros. Por isso, prognósticos se esfarelam, diante do que aparecia óbvio. Gosto do Santa Cruz, paixão antiga, e fico contemplando a sua […]

Read the rest of this entry »

O desconforto da dúvida e a religião do futebol

Quem despreza o futebol não conhece sua força diante das crenças de muitas pessoas. A modernidade trouxe as novidades cartesianas e as reflexões iluministas. Desmontou tradições religiões, mas as mudanças não se dão sem vestígios do passado. Não pense que o racionalismo desfez os mitos e sufocou os mistérios. Aqueles que exaltam o reino das […]

Read the rest of this entry »