Posts Tagged ‘mundo’

O descaso com a história

  Há um certo desprezo pelo história. Sente-se uma preguiça , um desconforto em falar de suas próprias histórias. Os meios de comunicação gostam de escândalos e denúncias. Não aprofundam. Promovem viagens curtas que não dialogam com a memória. É preciso criar contrapontos. Quando se deixa o passado de lado e vive-se o agora com […]

Read the rest of this entry »

A violência onipotente e o jogo das notícias

  A insistência dói. Escrever sobre um cotidiano pintado pela violência me deixa triste. Não há como silenciar. As notícias se balançam, tocam no corpo, desencantam. Aqueles ideais iluministas vivem dias contados. Não dá para acreditar que o equilíbrio tomará um lugar especial na sociedade. Usam-se armas com uma estupidez desmedida. Não sei quais são […]

Read the rest of this entry »

Não se compra o afeto, nem se corta o corpo

  Nos avessos do mundo, a vida corre, sem muita definição e com incertezas. Há estrelas apaixonadas, no firmamento, que conseguem firmar seus brilhos. Há travessias cheias de pântanos que assustam as crianças perdidas.Não pense que existe algo estático. O mundo pede movimento, mesmo quando o cansaço derruba o corpo. Talvez, a morte evite balanços. […]

Read the rest of this entry »

As nações existem ou se intimidaram?

  Ninguém discute que o capitalismo se expandiu. A globalização mostra que o mercado internacional se estreita e a cultura ganha uma massificação notável. Tudo gira na rapidez das comunicações, na ação das redes sociais, nas pressões constantes por novas tecnologias. O mundo entra na corrida, sem fim, para juntar capital, afirmar o reino das […]

Read the rest of this entry »

Relendo a história e o sentimento

    O mundo está repleto de significados. Talvez, infinitos ou inúteis. A vida se faz lendo o mundo, atravessando caminhos, e definido buscas. Não dá para ficar parado, sem conseguir se inquietar. Não se pode negar a complexidade. Ter a pretensão de decifrar cada coisa exaustivamente é delírio. O conhecimento ajuda, mas ele não […]

Read the rest of this entry »

Nietzsche: os valores apodrecem

  O mundo globalizado não consegue se livrar das crises constantes e profundas. Não há alternativas para cessar a corrupção e a violência. Elas aparecem e tumultuam. Se a perplexidade se amplia, há também esquecimentos importantes. Nietzsche, no século XIX, fez críticas ao mundo ocidental. Mostrou o apodrecimento dos valores e a falta de transformação […]

Read the rest of this entry »

Tenho tempo, logo existo

      Falamos do passado como algo que não tem retorno. Nem observamos que acumulamos conhecimentos e tradições. Temos parentescos imensos com os gregos, seria uma injustiça anular as lutas do escravos romanos. Não faltam lembranças. Elas formam nossa memória. repetimos, muitas vezes, o que já foi dito. A bossa nova não esquece o […]

Read the rest of this entry »

A guerra não cessa

  As grandes potências adoram colocar armas em ação. Não é costume da modernidade. Isso vem caminhando pela história. Quem esquece das Cruzadas, das guerras mundiais, das loucuras do fascismo, das ambições dos imperadores romanos? O animal racional gosta de derrubar e destruir, é um predador. Desanima ver as crianças morrendo, o pânico geral e […]

Read the rest of this entry »

A morte de Stephen: o poema do universo

    Nem sei se sou mesmo um historiador. Fico perplexo com aqueles que buscam firmar lugares. Acho tudo tão complexo, as perguntas tão profundas. Algumas coisas consigo compreender. Mais com o coração do que a razão. Duvido dos poderes da razão, pois observo que há utilitarismo científico acelerado. O capital dá as ordens. Infiltra-se […]

Read the rest of this entry »

Quem constrói o muro da felicidade?

    O mundo mostra-se inquieto, mas nem sei qual é o tamanho do mundo. A complexidade se arrasta pela vida, desde que Adão conheceu Eva e resolveu desobedecer. Não há como escapar da rebeldia. Aqueles que são passivos e tolerantes também possuem suas crises. Nada está quieto ou escondido para sempre. Temos muitos desejos […]

Read the rest of this entry »