Posts Tagged ‘mundo’

O mundo atordoado e impossível

O mundo é invadido por desenganos contínuos e perversos. Não há como acreditar que as salvações ressurjam. que a generosidade crie espaços, no tumulto  do ódio. A história não produz a mudança que significa o encontro, os abismos despedaçam corpos, anunciam  fins e catástrofes. É difícil contemplar a vida, quebrar os espelhos malditos. inventar o sossego, […]

Read the rest of this entry »

A demonização do mundo: a falência do bem?

Dizem que os demônios e os anjos estão sempre em conflito. A luta constante do bem contra o mal ,tão provocante, prossegue. Desde a queda do paraíso , o mundo se instabilizou. Não há como desejar equilíbrio. Parece que os demônios estão aplicando técnicas de alto poder tecnológico. Os anjos se perdem. Curtem uma ingenuidade […]

Read the rest of this entry »

Deus, Nietzsche e a magia

  Contam que existia um Deus mágico, solitário, que morava num deserto sem fronteira. Da areia vermelha criou o homem e da costela do homem, a mulher.Não lhes deu permissão para que levitassem. Criou também as leis, a culpa, o pecado e a simulação do perdão. Muitos séculos, depois, transformou tudo que havia no mundo […]

Read the rest of this entry »

As cores do mundo e do pecado

Pinto o corpo com as cores que estão soltas no mundo, elas descrevem os destinos, mas desconhecem a eternidade. Na profecia do engano, há sempre o mito envelhecido e distraído, sem contar a sua história, vadio como uma borboleta apaixonada. Não diga o que o tempo representa, nem que Picasso desenhava sonhos, deixe os outros […]

Read the rest of this entry »

O mundo e o infinito

Se em cada madrugada temo o amanhecer, desfaço o sonho e mergulhos nas ingratidões da vida. Conto histórias porque existe a profecia ou me engano com o malabarismo do tempo. Cada calendário da vida programa os desacertos e as datas desconhecidas do juízo final. Não se acanhe com as dúvidas, nem se confunda com os […]

Read the rest of this entry »

A solidão se apropria das multidões

  Não sei se vai haver apocalipse. Mas está tudo muito embaralhado. No meio de tantos acasos, há silêncios de solidões. A virtualidade trama suas amizades. Todos se comunicam com afeto programado. Como ficar encostado na beira do abismo do desespero e da ansiedade? É difícil imaginar que houvesses tantos desamparos, que a psicanálise acumulasse […]

Read the rest of this entry »

O azul e o mundo

  As cores do mundo não se acomodam em formas definidas, há uma multiplicidade de dizeres que celebram geometrias estranhas. O artista traduz a vida que não conhece sem observar as suas magias. Não imagine que Picasso refez todos os desenhos, nem desperdiçou sua ansiedade, mas  retomou cada traço  como um cristal precioso e desconhecido. […]

Read the rest of this entry »

Os valores de uma trilha sem rumo

Abro a janela, para animar e vejo o dia com um azul meio esquisito. Parece um desenho do que acontece por aí. Dizem que estamos numa época de grandes transformações de valores. Por isso que as drogas circulam com uma rapidez incrível Estamos perdidos, pois temos que inventar cartografias éticas. Complicado ou sofisticado? O que […]

Read the rest of this entry »

Quem gosta de curtir as crises?

Não se pode negar que a história tem seu ritmo. As variações são imensas. Temos muitas semelhanças, mas não faltam ressentimentos. A sociabilidade é necessária. Ao afetos ajudam a animar as conversas, promover filantropias e apostar que futuro trará transformações. Os valores estão vacilantes. É difícil pensar o consenso, ninguém sabe o custos de cada […]

Read the rest of this entry »

Os estranhamentos do mundo

    Há uma aceleração que produz uma perplexidade. O debate sobre o tempo nunca cessa. Com uma mídia sedenta de notícias estamos amanhecendo sabendo o que vai acontecer na outra semana. É estranho , mas o descontrole é geral Acabou-se a sequência. Tudo é possível. Talvez, não haja espaço para tantos julgamentos, os valores […]

Read the rest of this entry »