Posts Tagged ‘palavras’

A história e astúcia




Conte as pedras da história sem sentir o peso, como se fossem metáforas transcendentais e agudas. Não acredite no deus que não dança, nem na sereia que não seduz. Mergulhe no mar da aventura numa embarcação velha, e compare-se com Ulisses inventando astúcias e risos. Não seja objetivo, dispense os gênios da academia e procure […]




Share Read the rest of this entry »

O verbo ocupar, o substantivo ocupação




              As palavras acompanham as andanças da história. Nem sempre é preciso inventá-las ou mudar sua vida nos dicionários. Ninguém consegue comunicar-se anulando os múltiplos significados que possuem. Os sinais e a mudez podem ser compreendidos a partir de seus malabarismos. Deus não fez o mundo. Ele o disse, […]




Share Read the rest of this entry »

Kundera, a estética,o mundo: ” a vida não está em seu lugar”




Havia muitas previsões sobre o futuro, depois que a ciência ganhou espaços. Falava-se num progresso com ordem e felicidade. Voltaríamos ao paraíso sem pecado. Comeríamos tudo , sem regras, sem opressões. Somos poderosos, diziam os mais entusiastas. Nem tudo aconteceu com se previa e as relações estão tensas. Será que deixaremos de ser animais sociais? […]




Share Read the rest of this entry »

Estou por aqui




Pergunto ao tempo o que me incomoda, não me interesso pela resposta, nem me sinto contemplado. Observo que a agonia da incompletude cria  a cultura, e que há regras que levarão depois ao desatino. Desestabeleço medidas e apago fingimentos, com firmeza, nada mais cruel do que um espelho sem moldura mínima. Visito a moradia das […]




Share Read the rest of this entry »

O ser ou não ser




Picasso não era Picasso. O azul não era azul. O encanto não era o encanto. O tormento assaltava o mundo, o engano se fazia soberano. Contava com as palavras, queria entrar nos labirintos e viver os desenhos do infinto. Não havia traços, nem horizontes quem se foram com os amantes perdidos nas esquinas. Desfiz o […]




Share Read the rest of this entry »

O mundo de Mia Couto: encantos




Já escrevi muitos textos sobre Mia. Li seus livros com muita paixão. Seus escritos conversam com as palavras com uma intimidade emocionante. O mundo precisa de pessoas que sintam o afeto. O excesso de jogos de poder cansam e trazem discordâncias constantes. Quando surge alguém que toca na generosidade a celebração deve ser feita. Portanto, […]




Share Read the rest of this entry »

O mundo das pedras sem sossego




As inquietudes são, muitas vezes, provocadas por fantasias que parecem ingênuas. Mas quem pode viver sem fantasias? O mundo sem sossego é o mundo de sempre, embora as diferenças existam e componham a história. Não precisa ir ao passado distante, nem se apoiar nas energias de espantos, para compreender que o movimento é constante. As […]




Share Read the rest of this entry »

Os significados vadios da vida




Não esconda a saudade que move a história e celebra o desejo, o tempo da vida não permite lamentos intermináveis. A culpa é apenas um sofrimento que controla poderes e intimida rebeldias, sepultando invenções. Cada olhar traz o espelho da imagem que não muda, a travessia que não data improvisos, mas fixa calendários. O desenho […]




Share Read the rest of this entry »

As medidas soltas




O cotidiano trama a disciplina e impõe ritmos silenciosos. Parece que a história se enche de repetições e reproduz o tardio. É difícil definir a tamanho do destino, a existência do imaginário da culpa, as fronteiras que determinam o exílio e a fuga apressada. Há tempos que se chocam, há tempos que se conciliam, há […]




Share Read the rest of this entry »

A difícil possibilidade do reencanto




A história não consegue se livrar dos mistérios. Existem inúmeras teorias e crenças que tentam cercar a instabilidade e fazer pactos que neutralizem as dissonâncias. Mas as contradições movimentam a sociedades e parece impossível destruir a violência e retomar arquiteturas de paraísos. Se as dúvidas persistem, se as controvérsias são contínuas, criam-se sempre expectativas de […]




Share Read the rest of this entry »