Posts Tagged ‘pertencimento’

Pertencimentos: amores, paixões, consumos

  Fala-se na rapidez. Nada permanece, tudo custa segundos. Não há como se segurar, pois as tempestades invisíveis ganham o mundo. Os intelectuais se lamentam  da fugacidade dos saberes. Como compreender  tanta complexidade e ainda exigir clareza das atitudes políticas?  Vivemos a falta de transparências ou ela nunca existiu ? Não me angustio. Os exageros […]

Read the rest of this entry »

O mundo da lágrima congelada

Quem cantou a música dos deuses foi expulso do paraíso, a ousadia não consegue seduzir a eternidade do perdão. nem definir o tamanho da culpa do pecado original. Quem se esconde na intimidade da paixão inventada, se perde na loucura do poema de palavras curvas, se desenha entre sombras e luzes, imitando um fantasma. A […]

Read the rest of this entry »

Andy Warhol: os pertencimentos efêmeros

                                                   Na trama da vida corre o acaso sempre indefinido.           No traço do caminho há imensos abismos e desvios sem fim.          Em cada instante soltam-se anúncios de cotidianos mal resolvidos.          Há um espetáculo que não sossega nos  gestos dos corpos inquietos.          A transparência  da dor foi negociada pela astúcia da […]

Read the rest of this entry »

A quem pertence o mundo e suas aventuras?

             Sempre as dúvidas atravessando caminhos. Fazem parte da encenação. Somos personagens, produzimos textos, profetizamos futuros, perguntamos por andam as chaves dos quartos fechados. Muitas vezes, sinto-me fora do mundo. Fico mudo, buscando pertencimentos. Não consigo visualizá-los. Tento costurar raciocínios, invento filosofias, consulto ironias seculares. Tudo se torna uma longa confusão, respondida pela dimensão do acaso. […]

Read the rest of this entry »

O paraíso mora na cadeira de balanço

Gosto de observar as coisas. Ganho horas, contemplando objetos e imaginando situações. É uma meditação, sem regras ou anseios religiosos. Um estar-no-mundo, sem metafísicas, mas com a empatia estimulando o pulsar da vida. Não bastam ruídos, para as transformações ocorrerem e os sentimentos movimentarem-se. Há interioridades que fervem e objetividades frias. Escravizar-se, com as determinações […]

Read the rest of this entry »