Posts Tagged ‘poder’

O jogo inquieto da verdade: lembranças nietzscheanas

  Nietzsche foi um crítico feroz das tradições ocidentais. Hoje, ocupa lugar de destaque nas tramas do pensamento atual. Um mergulho, nas obras de Deleuze e Foucault,  nos traz ecos das inquietações tão presentes nas últimas décadas do século XIX. Vemos permanências.Os argumentos de Nietzsche são retomados, numa reinvenção que surpreende os saberes contemporâneos.  A […]

Read the rest of this entry »

Quem desconfia da lucidez programada?

  As relações de poder não podem ficar ausentes da sociedade. O paraíso é uma fantasia, pois as disputas  atiçam violências. Elas mudam suas formas. Marx destacava as lutas de classes, Mussolini queria corporações opressoras, a China busca espaços imperialistas. Quem define os limites dos poderes evitam certos descontroles. No mundo ,armado pelo autoritarismo, tensões […]

Read the rest of this entry »

No meio do facebook e do mundo, o poder se anuncia

  Não sou um pessimista radical, mas acho difícil que a história seja um lugar de bons afetos generalizados. Há muita vaidade e busca de vitrine. As mudanças, nos meios de comunicação, possuem uma grande penetração na vida de cada um. As notícias correm, as liquidações atraem, os amigos contam os êxitos de seus amigos […]

Read the rest of this entry »

As escritas da política e as escritas do mundo

  O domínio sobre o que está escrito é polêmico. A história namora com o acaso. Criam-se expectativas que morrem antes de qualquer suspiro. A política é campo de incertezas. Aparecem figuras obscuras que seduzem. Outras acertam pacto democráticos, mas não conseguem superar. Portanto, o voto é turbulento. As viradas surgem, porém não estamos livres […]

Read the rest of this entry »

A palavra golpe e o poder

  A política continua buscando cenários repressivos. Deveria ser criado o ministério da insegurança. Todos se habilitam a encontrar planos salvadores, mas terminam justificando cargos e tramando injustiças. Raul conversa com Michel que conversa com Segóvia que faz discurso afirmando a força da polícia federal.  Discursos medíocres de pessoas que cumprem trajetórias nada simpáticas. Mudam […]

Read the rest of this entry »

Doria: a cracolândia, a política, a controvérsia

  As notícias ganham espaços movidas pelas curiosidades. Nem todos se ligam ao seu conteúdo. Apostam no sensacionalismo. Surgem os preconceitos, as violências, as amarguras. Observe a questão da cracolândia. Um inferno, na capital mais rica do Brasil, que assusta e comove. Ela não é só movimentada pela pobreza ou astúcia dos traficantes. Mostra que […]

Read the rest of this entry »

Nietzsche: ansiedade, oportunismo, cultura

  A história não requer confortos contínuos. Parece que é preciso que haja quedas. Elas se vinculam ao movimento de aprendizagem. A cultura traz invenções e toca nas sociabilidades mais permanentes. Isso significa dizer que há mudanças. Mas é preciso não confundi-las com progresso. Mire no século XIX. Observe as idas e vindas dos pensamentos, […]

Read the rest of this entry »

O mundo das quadrilhas mirabolantes

A quantidade de bancos explodindo assusta. Uma devastação que nos deixa perplexos. Prendem trés, quatro, mas o suspense continua. Muita grana solta e as pessoas aflitas não sabem o que fazer. Cada cidade atacada é um terremoto. No meio de uma economia combalida, a segurança tornou-se um problema sem fim. Tudo feito com grande eficácia. […]

Read the rest of this entry »

O feitiço desmancha a política?

Certos jantares trazem a fantasia e o desejo de poder. Alimentam o pragmatismo perverso. Num país que vive tantos desafetos, ainda se tem o cinismo de celebrar conspirações. Sinto, às vezes, dificuldade de respirar. Não sei se há bruxarias soltas, inquisições preparadas, congelamento de coragens. Não tenho dúvidas que o abismo é grande. Não registro […]

Read the rest of this entry »

A procura da culpa, a tensão das palavras

As tensões políticas são reveladoras. Aparecem com fatos surpreendentes. Ficamos sem saber por onde caminha a sensatez. Não há negar que todos temos uma concepção de mundo. Alguns são ambíguos ao extremo, outros lutam pela transparência. Não vamos querer uma sociedade de iguais em todos os sentidos. Seria a negação da história. No entanto, forma-se […]

Read the rest of this entry »