Posts Tagged ‘poder’

O poder cotidiano da mídia

Quem desconhece que a cultura tem seus limites com certeza se encontra atordoado. É possível se inventar sonhos e até imaginar um mundo sem inquietações vingativas. Os paraísos existem para aliviar o cansaço da velocidade dos desejos. Mas o canto da ilusões não engana a todos. Serve para enfraquecer as tensões. A sociedade se multiplica, […]

Read the rest of this entry »

Os ruídos frequentes das corrupções

A sociedade está sempre estabelecendo regras. Surgem novos comportamentos, há mudanças nas organizações políticas, protestos ganham ruas reclamando dos descontroles, continuam desigualdades seculares. É quase impossível conceber harmonias, os conflitos se espalham e as rivalidades não cessam. As regras buscam manter ordens. As disputas mostram que os poderes estão acesos. Não faltam acusações e as […]

Read the rest of this entry »

Quem derrota o preconceito?

  O movimento da sociedade nunca é transparente. Há sempre dúvidas, ambiguidades, urgências irresponsáveis. Somos atropelados por raciocínios fabricados com muita sofisticação ou por desprezos históricos mal resolvidos. A competição exige astúcia e, muitas vezes, disposição para assumir cinismos e vinganças passadas. O famoso compromisso com a verdade flutua e se enche de promessas. Tudo […]

Read the rest of this entry »

As aprendizagens da política

  A história (des)continua. A ambiguidade é proposital. Não se festeja concepções de mundo homogêneas, nem tampouco preconceitos culturais. As quebras e as trocas circulam pelos tempos. Tivemos a última votação da campanha para presidente. Não nada foi  fácil, pois a tensão não se retirou, recusou descanso. As idealizações trazem certo desespero e as análises […]

Read the rest of this entry »

O olhar do outro: diferenças e tensões

Inúmeras são as definições que tentam cercar o humano.. Tenho muitas dúvidas e vejo que há incertezas e vacilações que se estendem pela história. Não nego que produzimos conhecimentos inquietantes e eles se movem construindo turbulências. A complexidade cresce com as informações que atingem a aldeia global. Nós as inventamos, mas inexistem transparências que nos […]

Read the rest of this entry »

A política: os lugares da história

  As eleições acontecem trazendo a política para o debate. Há uma clima de festa cívica, como alguns gostam de afirmar. Não podemos esquecer que a política está entrelaçada com as questões do poder. Ela deveria ser pensada nas relações sociais que vivemos sem necessitar de datas marcadas. Mas o ritmo é outro. Fugimos de […]

Read the rest of this entry »

As linhas da política costuram possibilidades ?

Os significados dos conceitos não estão petrificados. Mudam. Nem sempre apresentam novidades. Há retornos e visitas ao passado. É difícil se saber quando houve uma transformação radical. No mundo da velocidade, vende-se urgência. Muita gente fica deslumbrada com as tecnologias ou não observa como as notícias podem ser manipuladas. Não há como aprisionar o tempo […]

Read the rest of this entry »

A Vila Estelita: o cotidiano e a política

  Há modelos de comportamentos políticos que seguem tradições e se importam com as disputas eleitorais.  Acreditam, ainda, em concentrações de poder mesquinhas. Estão envolvidos pela pressa da competição. Não observam as mudanças, não buscam dialogar com os tempos da história. Assustam-se com os movimentos que adotam ações diferentes. Não se animam com os sinais […]

Read the rest of this entry »

As curtições e os sentimentos desfiados

  Os registros dos desenganos possuem amplo espaço na sociedade contemporânea. Mas sempre fica a pergunta: explorações, desconfortos, invejas não ameaçam a continuidade da história? Quem observa a conversas dos tempos não deveria duvidar que há travessias diversas e as ambiguidades lidam com rebeldias que prometem ânimo. Há quem curta, quem se divirta e procure […]

Read the rest of this entry »

Quem se (re)define na política?

  As mudanças tecnológicas não visam, apenas, multiplicar os lucros e agilizar a produção. Elas influenciam no cotidiano e alteram, até mesmo, comportamentos afetivos. É que no meio de tantas fragmentações não podemos esquecer o coletivo. Não vivemos isolados, nem escondidos. Temos que ir ao mundo, renovar sociabilidades e enfrentar obstáculos. Não há como se […]

Read the rest of this entry »