Posts Tagged ‘poder’

O olhar do outro: diferenças e tensões

Inúmeras são as definições que tentam cercar o humano.. Tenho muitas dúvidas e vejo que há incertezas e vacilações que se estendem pela história. Não nego que produzimos conhecimentos inquietantes e eles se movem construindo turbulências. A complexidade cresce com as informações que atingem a aldeia global. Nós as inventamos, mas inexistem transparências que nos […]

Read the rest of this entry »

A política: os lugares da história

  As eleições acontecem trazendo a política para o debate. Há uma clima de festa cívica, como alguns gostam de afirmar. Não podemos esquecer que a política está entrelaçada com as questões do poder. Ela deveria ser pensada nas relações sociais que vivemos sem necessitar de datas marcadas. Mas o ritmo é outro. Fugimos de […]

Read the rest of this entry »

As linhas da política costuram possibilidades ?

Os significados dos conceitos não estão petrificados. Mudam. Nem sempre apresentam novidades. Há retornos e visitas ao passado. É difícil se saber quando houve uma transformação radical. No mundo da velocidade, vende-se urgência. Muita gente fica deslumbrada com as tecnologias ou não observa como as notícias podem ser manipuladas. Não há como aprisionar o tempo […]

Read the rest of this entry »

A Vila Estelita: o cotidiano e a política

  Há modelos de comportamentos políticos que seguem tradições e se importam com as disputas eleitorais.  Acreditam, ainda, em concentrações de poder mesquinhas. Estão envolvidos pela pressa da competição. Não observam as mudanças, não buscam dialogar com os tempos da história. Assustam-se com os movimentos que adotam ações diferentes. Não se animam com os sinais […]

Read the rest of this entry »

As curtições e os sentimentos desfiados

  Os registros dos desenganos possuem amplo espaço na sociedade contemporânea. Mas sempre fica a pergunta: explorações, desconfortos, invejas não ameaçam a continuidade da história? Quem observa a conversas dos tempos não deveria duvidar que há travessias diversas e as ambiguidades lidam com rebeldias que prometem ânimo. Há quem curta, quem se divirta e procure […]

Read the rest of this entry »

Quem se (re)define na política?

  As mudanças tecnológicas não visam, apenas, multiplicar os lucros e agilizar a produção. Elas influenciam no cotidiano e alteram, até mesmo, comportamentos afetivos. É que no meio de tantas fragmentações não podemos esquecer o coletivo. Não vivemos isolados, nem escondidos. Temos que ir ao mundo, renovar sociabilidades e enfrentar obstáculos. Não há como se […]

Read the rest of this entry »

Massificação: o poder de manipulação mascara

A convivência não se faz sem diálogos. No entanto, os diálogos não se completam quando o interesse da manipulação domina. Podemos entrar em contradição, discordar, possuir concepções de mundo diferentes. Há sempre a insistência em citar a multiplicidade. Muitas práticas sociais  mudam, culturas se chocam e conflitos se estendem sem fronteiras. Os poderes se distribuem, […]

Read the rest of this entry »

A violência acende as disputas e os desmantelos

A história está sempre nos lembrando de desafios. Ninguém consegue ficar alheio aos contrapontos que se formam no cotidiano. As desigualdades não são apenas econômicas. Elas fundamentam conflitos e trazem frustrações. Não vamos negar a miséria que se espalhar por tantas regiões.Incomoda, alimenta monopólios e ambições. São contrastes contínuos. Inventam muita política para amenizar fomes […]

Read the rest of this entry »

Os desencontros políticos e a escassez de limites

A seca toma conta de quase tudo. O calor manda no cotidiano. As chuvas não dão garantias de que teremos tempos sem sufoco. Não se resolve uma questão tão secular. Ela se repete como também tantas outras que invadem a educação e a saúde. Não entendo o que significa governar para quem  usufrui os privilégios […]

Read the rest of this entry »

O cotidiano programado, envolvente, veloz

É difícil andar pela vida observando os passos e os escorregões. Várias vezes nos perdemos.Temos que buscar o caminho da volta. O pior é que há esquecimentos e ficamos no meio do mundo, soltos, imaginando se há alguma forma de salvação. Não fugimos de fabricar fantasias. Não é possível viver sem elas, contemplando espelhos gastos. […]

Read the rest of this entry »