Posts Tagged ‘Prometeu’

Releituras: as permanências de Prometeu

A leitura de Prometeu Acorrentado, de Ésquilo, é indispensável para quem gosta de refletir sobre o humano. As tragédias gregas nos trazem inquietantes afirmações. Prometeu revoltou-se, contrariou a vontade dos seus superiores, quis reinventar as hierarquias. O texto de Ésquilo ganha força com  diálogos surpreendentes. Ficamos perplexos e encantados. Quanta coisa dita que merece atenção […]

Read the rest of this entry »

Prometeu: não há descansos para os tempos das histórias

A tragédia de Prometeu não está ultrapassada. Ela tem muitos significado. Com não conseguimos definir nossas origens, as perplexidades não deixam de nos fazer companhia. Os mitos são fundamentais para esclarecer as vacilações dos ânimos. A história é uma grande ciranda. Nossa teimosia é querê-la com uma narrativa singular e única. Não é possível. Faz […]

Read the rest of this entry »

As descontinuidades e as confusas temporalidades

Podem insistir. Contar os dias e as noites usando metodologias diversas. As épocas mudam, como também as reflexões que indicam a passagem da vida. O corpo dá sinais, transforma-se, parece viajar. O tamanho do caminho é um mistério? O que fica nos instigando são as descontinuidades. Quantas aparecerão? Há mesmo descontroles ou desmontagens que refazem […]

Read the rest of this entry »

A finitude: espelho, palavras, deuses.

A trágica dissonância das correntes de Prometeu, no asilo dos mitos condenados, arrasta a história para o fundo do abismo. Nem as narrativas, nem as experiências, nem vocabulários. A vida se encerra na desistência dos destinos. Os deuses se assustam e suplicam o fim da onipotência.. A dor é o espelho, a palavra, o registro […]

Read the rest of this entry »

Quem tem medo do professor?

Mais uma grande mobilização nacional dos professores para protestar e reivindicar melhores condições de trabalho. Insistência e resistência. Não podia ser diferente. A administração pública não cessa de mostrar vacilações. Parece desconhecer os caminhos que levam a qualidade de ensino agregadora. Especula-se sobre a compra de computadores, estabelecem-se  prazos para reformar escolas, mas predomina uma burocracia […]

Read the rest of this entry »

Salvador Dali: o último dia

                                                      O último dia é a sombra inquieta do vivido.                                Não existe ponto final determinado, nem desejo solto                                sem a fronteira do limite.                                 A difícil trajetória de cada um não sintetiza o tamanho do                                     futuro, nem o anúncio de apocalipses anônimos.                                Fechando as gavetas vazias dos armários antigos,                               […]

Read the rest of this entry »

Narciso e Prometeu, democracia e instabilidade

As mudanças políticas não param de alterar as relações de poder. Elas estão trazendo dúvidas sobre o futuro da democracia, se ela ainda continua exercendo fascínio ou o perigo das ditaduras, ainda, assombra. As instabilidades, na história, provocam inseguranças e nostalgias. Recorde-se do Renascimento, o quanto ele dialogou com o passado greco-romano e, ao mesmo, redefiniu […]

Read the rest of this entry »