Posts Tagged ‘razão.’

Nietzsche: ansiedade, oportunismo, cultura

  A história não requer confortos contínuos. Parece que é preciso que haja quedas. Elas se vinculam ao movimento de aprendizagem. A cultura traz invenções e toca nas sociabilidades mais permanentes. Isso significa dizer que há mudanças. Mas é preciso não confundi-las com progresso. Mire no século XIX. Observe as idas e vindas dos pensamentos, […]

Read the rest of this entry »

A política de todos os oceanos

Não se podia esperar travessias menos amargas. Tudo está muito confuso, complexidades inesperadas.Há surpresas que atormentam. Não temos condições de votar pelos outros. Seria um caos. A política é uma escolha com objetividades precárias. Nem sempre a lucidez ganha espaço, os ressentimentos viajam pelos corações. A sociedade é território da diversidade. É lamentável que Dória […]

Read the rest of this entry »

As violências: significados e especulações

As expectativas fazem parte da história, sobretudo na construção da modernidade. Elas bordaram otimismos sonhados, trouxeram movimentos inusitados, mas a sociedade continua respirando a poluição da desigualdade. Ela se estica pelo mundo globalizado. Muitos sugerem que há ineficiência dos governos e um convívio com gestões mal planejadas. As teorias são sofisticadas e dançam com o […]

Read the rest of this entry »

Sentimentos: as conversas miúdas e os amores vadios

Nunca se deixou da falar sobre os sentimentos. Mesmo no tempo em que a razão parecia inquestionável não havia como não citar  coragens, amores, frustrações. A vida não pode se resumir a cálculos e estratégias definitivas. Queremos certezas, ultrapassar obstáculos, narrar êxitos, porém não há esquecer as dúvidas e as ambiguidades. A vida é um […]

Read the rest of this entry »

A (im)possível transparência e as ilusões da cultura

Quando tudo acontece nas proximidades, os sentimentos se mobilizam com muitas inquietações. É sempre difícil saber das medidas de suas insatisfações. Não temos controle sobre o futuro, nem somos profetas do juízo final. Por isso, há vacilações quando outras ordens são anunciadas. As análises históricas estão, na sua maioria, presas aos grandes acontecimentos. Perdemos vestígios […]

Read the rest of this entry »

O poeta, os sentimentos, o anjo torto

Há sempre quem insista que o homem é um animal racional. Discussão antiga que atravessa a história. Nem todos se envolvem com essa verdade dita  secular. Duvidam da capacidade de equilíbrio que nos pertence. É polêmico. Até mesmo o conceito de razão merece longas reflexões. Não podemos esquecer que a modernidade o elege como básico […]

Read the rest of this entry »

Frida Kahlo: amor e paixão

                                             Não desconfie do último suspiro,                                             nem do beijo que  tem perfume.                                             O amor não inverte a paixão, mas pede                                             sossego, serena  o  calor do coração.                                              Na cartografia do teu corpo moram                                              os desenhos dos sentimentos sem nome.                                              Deixe a razão navegar nas turbulências                                               inesperadas.                                               Ilumine o cais e estique a preguiça […]

Read the rest of this entry »