Posts Tagged ‘rebeldias’

As rebeldias, as interpretações, os sentimentos

Ninguém desconhece que o tempo histórico é complexo. Não adiantar querer revelar suas andanças de forma completa. Há, sempre, dúvidas. Exigimos transparências, mas é quase impossível alcançá-las. Isso não invalida as lutas intelectuais, nem promove a excelência do silêncio. Os incômodos provocam ruídos, não é novidade pós-moderna. As ruas ficam cheias de pessoas que reivindicam […]

Read the rest of this entry »

A violência acende as disputas e os desmantelos

A história está sempre nos lembrando de desafios. Ninguém consegue ficar alheio aos contrapontos que se formam no cotidiano. As desigualdades não são apenas econômicas. Elas fundamentam conflitos e trazem frustrações. Não vamos negar a miséria que se espalhar por tantas regiões.Incomoda, alimenta monopólios e ambições. São contrastes contínuos. Inventam muita política para amenizar fomes […]

Read the rest of this entry »

Os rituais do cotidiano retomam assombrações

Há quem se ajuste no presente de forma radical. Não querem saber do passado. Juram que há progressos promissores. Tornam-se  dogmáticos sob o signo da razão. Vivem as tecnologias com entusiasmo quase religioso. Não é à toa que o mundo seja palco de cenários múltiplos. Não esqueçamos os nostálgicos, alérgicos às ficções futuristas, curtindo música no seu […]

Read the rest of this entry »

O peso do corpo e as matrizes da barbárie

Vem sendo comum discursos de líderes políticos celebrando mortos. Mostram um entusiasmo internacionalizado. Depois, exaltam a democracia, pedem paz e controle. A morte de Kadafi transformou-se num espetáculo. Os meios de comunicação encontram instantes de glória. Mostram as violências, atraem audiências, banalizam conteúdos políticos. Não estamos negando a ditadura líbia, nem tampouco as extravagâncias de seu […]

Read the rest of this entry »

Memória, desejo, imaginação, narrativa

Memória e desejo se conjugam, desafiando a imaginação. A arte se insere na fabrica da pesquisa de textos, porque não há tempo mortos e sepultados. O historiador (res)significa, se envolve com o eterno retorno. Não deve esquecer-se que os grandes mestres da prosa foram também quase  sempre poetas, quer publicamente, quer apenas em segredo, na […]

Read the rest of this entry »

O mundo agitado, a insegurança e os mercados

Não pense que todos estão conformados, assistindo às turbulências  passivamente. Os protestos existem, assumem formas diversas e mostram que há inquietações visíveis. Na famosa Londres, o bairro de Tottenhan  manifesta-se contra ações policiais. O tumulto é grande, deixando muita coisa quebrada e relembrou outras rebeldias. A morte de Mark Dungan motivou londrinos a requerem justiça. Em […]

Read the rest of this entry »

Desgovernos, rebeldias, consumos, aventuras

     Manjares de plástico, sonhos de plásticos. É de plástico o paraíso que a televisão promete a todos e a poucos dá. A seu serviço estamos. Nesta civilização onde as coisas importam cada vez mais e as pessoas cada vez menos, os fins foram  sequestrados pelos meios: as coisas te compram, o automóvel te […]

Read the rest of this entry »

Por onde circulam os suspiros da rebeldia?

                              As rebeldias não têm moradias fixas. Mudam de lugar e vestem-se com as modas de cada tempo. É difícil prevê-las. Inquietações surgem, há expectativas  de transgressões, mas a calmaria reassume o controle das relações sociais. Bate uma apatia inesperada e a ordem concretiza sua repressão. Isso é história. Permanências resistindo. Não querem ser […]

Read the rest of this entry »

As andanças silenciosas do capitalismo

              Ninguém nega a globalização. É assunto presente, em todas as notícias que mostram como o mundo está interligado. As novidades chegam rapidamente. O que assusta é a falta de fôlego, para saber das coisas e buscar ultrapassar certas manipulações. Nem tudo é uma mal permanente. No entanto, a globalização responde às urgências do capitalismo. […]

Read the rest of this entry »