Posts Tagged ‘redes sociais’

As informações moram nas ordens dos poderes

  Não é possível derrubar todos os diálogos. É importante decifrar mensagens e agitar a reflexão. Somos animais sociais, apesar das divergências e dos conflitos violentos. O jogo da vida exige controle, porém não faltam excessos. A história é o inesperado que acorda sossegos e promete sacudir memórias. As redes de comunicação existem e são […]

Read the rest of this entry »

A sociedade não foge das divisões

    A intriga não é novidade, nem a bala perdida no asfalto uma boa diversão. Elas estão no cotidiano. A sociedade vive temerosa de novas  tempestades. São aflições doentias. Há um crescimento populacional que assusta. Não se divide os recursos materiais, não se tenta dá conta da miséria dos refugiados, mas se busca, nos […]

Read the rest of this entry »

Quais são as medidas da intolerância e da máscara?

  A sociabilidade sofre ameaças quando as raivas se expandem e multiplicam inimigos. As tensões são irritantes. Ataca-se como uma diversão. As redes sociais garantem anonimatos. Um esconderijo perfeito para quem gosta da agressividade ou se encontra tonto com suas escolhas. Fez greves no passado, acusou o liberalismo, prometeu manter-se socialista e , depois, desiste […]

Read the rest of this entry »

Julgar: o poder opressor da notícia veloz

  Vivemos contando a nossa vida e falando da vida dos outros. Há inúmeros meios de comunicação. A tecnologia abriu espaço para velocidade. Todos querem novidades. Sentem-se motivados pelas fofocas gerais. Há uma certa perversão em escutar insucessos, em curtir escândalos, em vibrar com tragédias alheias. A generosidade nunca existiu de maneira plena. Somos animais […]

Read the rest of this entry »

A política: lugar de desgoverno sem fim?

A confusão se amplia. Muito choro, muitas velas. Não há como ser ausente às tantas idas e vindas da história. Existe quem exija objetividade e segue mandamentos cartesianos. A justiça se torna a letra exata, ditada pelas inteligências supremas. Desconfio. O que menos sobrevive é a certeza. A sociedade está dividida e repleta de análises […]

Read the rest of this entry »

As redes sociais: as notícias correm imprecisas

Não há convivência social e histórica sem agilizar a comunicação. Um olhar paciente sobre mostrar que é preciso conversar, observar os comportamentos dos outros, renovar costumes, anular tradições faz parte das mudanças, da necessidade de experimentar questões e fugir de certas amarguras. São infinitas as possibilidade de escolhas. Elas visitam memórias, criam futurismos, conservam dogmas. […]

Read the rest of this entry »

Cartografias dos sentimentos e cotidianos na rede social

A pressa comanda muita coisa. Não é estranho que o trabalho se insira no cotidiano determinando ordens e excluindo prazeres. A sociedade exige que as pessoas se movimentem e busquem a sobrevivência. O importante é se localizar, construir narrativas que mostrem interesses em seguir adiante com projetos de sucesso. Estamos fazendo uma afirmação genérica, mas […]

Read the rest of this entry »

As redes sociais: cenários,disputas,esconderijos

Cada época possui suas expressões. Não há cópia autêntica do que passou. Autenticidade é um conceito que não merece o respeito que tinha antes. Tudo foi muito mexido, refazendo referências, criando conformismo com a pouca profundidade em certas questões. A modernidade trouxe rupturas. É discutível se ela agradou aos que sonhavam com um mundo melhor […]

Read the rest of this entry »

As redes sociais: ruídos das imagens e dos espelhos

Os animais sociais não deixam de instituírem suas linguagens. Nós estamos na circulação do tempo, inventamos travessias e sinais para realizá-lo. Não há razão para nos assustarmos com as mudanças ou querer uma comunicação, sempre, marcada pela manutenção dos hábitos e técnicas. Os sofistas tiveram sua época, dialogaram numa Grécia com questões políticas fundamentais para […]

Read the rest of this entry »

O Facebook: sentidos do mundo e do tempo

Vemos o tempo passando e corpo dando seus sinais. Não temos o controle das idas e vindas do tempo. Ele nos surpreende. Ideias rebeldes, vontade de ver a solidariedade firmar comportamentos, mas quem vence não se interessa por compartilhar. Fixa diretrizes, não se descuida do espetáculo, evita profundidades. O esquema de dominação, hoje, não intimida […]

Read the rest of this entry »