Posts Tagged ‘Ritmo’

O carnaval: as andanças embriagadas da vida




Os ruídos não se ausentam. O carnaval passa, mas os ouvidos escutam ressonâncias e esperam. A festa do desejo é incansável. Deixa saudades, porque há sinais de que o mundo vai ganhar outro ritmo. O tempo redefine os trabalhos e aumenta os problemas. O carnaval anunciou, para muito, um paraíso. Há uma febre contagiante e […]




Share Read the rest of this entry »

Sinto, logo insisto e deixo as portas abertas




Contaria todos os sentimentos, mas não chegaria próximo da verdade. Não tenho pretensões. Sei que não posso viver sem o outro. Existem mágoas. Quem afirmou que os dez mandamentos resumem a história? O mundo é extenso, mas não é maior que a memória. O amor esquecido fica como uma sombra. Não pense que a vida […]




Share Read the rest of this entry »

Os ritmos e as saudades




As sensações de que as linhas não conseguem costurar o mundo deixam uma suspense que amargura e distrai a alegria. Há sempre quem não se canse de esquecer as memórias, de aprisionar os sentimentos nas moradias escuras e desfiguradas. Nada possui significados que marquem identidades definitivas, os afetos desprezam medidas, buscam expandir as possibilidades flutuantes. […]




Share Read the rest of this entry »

As dissonâncias, as histórias e os historiadores




Nunca deixei de observar a relação da escrita com o ritmo da música. Elas entrelaçam-se. Não sei se é uma paixão que move o escondido inconsciente, mas a sigo, sem vacilação. O compromisso com a palavra não é, apenas, de testemunhar a construção de verdades. Há a dimensão das formas, as viagens estéticas, as surpresas […]




Share Read the rest of this entry »

As permanências e os sentimentos sobrevivem




O movimento dos sentimentos é histórico. Ele possui seu lugar, seu tempo, suas circunstâncias. O afeto é permanente, mas não se apresenta naturalizado, com ritmos imutáveis. Na permanência há mudanças, relatividades. E não são poucas. O absoluto é um devaneio de quem deseja a onipotência. Ligue-se nas diferenças. Imagine a sociedade francesa da época de Napoleão […]




Share Read the rest of this entry »

Quem imagina as revoluções e seus projetos?




A modernidade deu um nó nos tempos feudais. Trouxe um projeto renovador que foi se sedimentando, sem desprezar as tradições do passado. Não é possível pensar que tudo saiu da cartola de um mágico aposentado. Os gregos conseguiram reunir experiências que os construtores da modernidade não abandonaram. Houve rompimentos, mas muita coisa permaneceu. Mudam as vestes […]




Share Read the rest of this entry »

A cidade na sua agonia cotidiana e veloz




           O tempo veloz balança os conceitos. Pensar o mundo virou uma dificuldade constante. Não é possível fortalecer as relações para  que elas mergulhem em profundidades e sintam-se soltas. A incerteza atua, segue uma trilha acidentada. Não estamos querendo afirmar que há épocas cheias de harmonia ou que estamos no pior dos mundos. Assusta-nos a […]




Share Read the rest of this entry »

O mundo instituído e suas reinvenções




Não há caminhos definidos para sempre. Olhando a história, vemos que as mudanças se dão e renovam as ordens estabelecidas. O ritmo de cada época confunde e cria avaliações que podem firmar anacronismos. O que representa ordem para o catolicismo medieval difere do que pensam os rebeldes socialistas do século XX. Mesmo analisando um grupo, as […]




Share Read the rest of this entry »

A saudade não perde o ritmo dos momentos




    As lembranças se encarregam de revirar a memória. Caminhar, pelo passado, não é pisar em sepulturas. As emoções não deixam a mudez se espalhar e os ecos dos tempos não descansam. Por isso, cultivo encontros, mesmo distantes e desatentos ao meu agora. Minhas idas aos campos de futebol estão vivas e saltam as sequências […]




Share Read the rest of this entry »

A solidão caminha com cadências e fundamentos




          Há  esportes que ignorava. Não entendia, nem me emocionava com suas jogadas. Ficava desconfiado. Lembrava-me das torcidas, das minhas ligações com o futebol e firmava minha antipatia pelo tênis. Mas o tempo e a vida se sacodem. Comecei a ser mais paciente. Observava a ação dos tenistas, buscando ensinamentos. Partidas longas, fisionomias sérias, público […]




Share Read the rest of this entry »