Posts Tagged ‘sensibilidade’

Antonio Cândido: a generosidade tem nome

  Vivemos no meio de ataques constantes. A aridez contagia, a ironia se expande. O Brasil está doente, não sabe o tamanho da sua aflição. Nunca vi tanta raiva acumulada. Difícil dialogar. Há pessoas que não percebem que há corrupções próximas e familiares, mas preferem jogar para a plateia, pintar imagens histéricas.  Quem soube roubar […]






Share Read the rest of this entry »

Não compreenda o amor

Gosto de pensar sobre o impossível. Está tudo tão confuso que não adianta buscar esclarecimentos. A justiça se contradiz, Temer telefona para Faustão, as notícias e a credibilidade estão ameaçadas. As sociedades humanas vivem lutos e lutas. Não há sossego, mas uma sucessão de guerras e violências. Nos Estados Unidos, o racismo continua e as tensões […]






Share Read the rest of this entry »

A navegação dos sentimentos: os ritmos (des)encontrados

Quem afirma que os sentimentos morreram e proclamam a objetividade total não conseguem ver a vida. Ficam encantados com a acumulação de mercadorias e fazem de tudo um grande negócio. Não querem saber de perdão, nem de nostalgias. Cultivam uma contabilidade mesquinha, habitam nos territórios dos lucros, na expansão dos narcisismos. Não pense que é […]






Share Read the rest of this entry »

Os espaços sensíveis e os escritos da história cultural

É difícil definir história, mais ainda navegar pelas muitas especializações que se apresentam nas suas aventuras acadêmicas. Fiquei muito tempo perplexo com a exaltação feita a uma história, apenas, voltada para as questões do passado e uma resistência marcante contra o presente. O historiador flutuava nos fatos em busca de fontes que demonstrassem que a […]






Share Read the rest of this entry »

Etorre Scola: cinema, história, sensibilidade

  Ettore Scola é um diretor de filmes  instigantes. Italiano, segue a tradição de grande mestres, mas com uma autonomia construída com criatividade. Possui um compromisso com o social, mas sem deixar de lado as histórias pessoais, as intimidades, os sentimentos. Não foge do mundo da imaginação em nome de um realismo estreito. Sabe que a […]






Share Read the rest of this entry »

As sensibilidades e seus sertões particulares

As informações são tantas que fica difícil selecioná-las. O  que atrai? Há escolhas definidas, sem vacilo. Muitos procuram preços, liquidações ou se perdem nas letras minúsculas dos classificados. Lá organizam seus orçamentos e planejam suas compras, sem piscar os olhos. As idas dominicais às lojas famosas tornaram-se um divertimento. Não significam, necessariamente, gastos, mas um desfilar […]






Share Read the rest of this entry »

As lembranças se penduram na vida e no ritmo

  Há lembranças que não deixam de aparecer. Trazem aberturas para o passado. Gosto de reparti-las. A satisfação de construí-las não deve ficar dentro de esconderijos. Balançar a vida é animar a gangorra e aproximar-se do querer-bem. Nos anos 1960, estava entrando na adolescência, como dizem os educadores. O mundo fervia e minha cabeça não […]






Share Read the rest of this entry »

Luz e escuridão, solidão e inquietude

O carnaval se aproxima. Campo aberto para muita agitação. A folia é um transtorno. Muda a vida das cidades, fabrica alegrias passageiras e faz a festa das televisões. Dizem que o Brasil é o país do carnaval e do futebol. Há, ainda, o permanecer do mito da cordialidade, das belezas naturais insuperáveis e dos corpos […]






Share Read the rest of this entry »

Futebol, Carolina e Beatriz: as sortes e as paixões

Chico Buarque fala de Carolina que não viu o tempo passar na janela. Destino cruel, tristeza sem luz, dor de todo mundo. Mas nem é julgamento, nem juízo final. Tantos se distraem de outras maneiras. Dividem seus instantes com a solidão, contando os dias apagados pelos desencontros. Olham os voos dos beija-flores imaginando trapézios invisíveis. Chico e […]






Share Read the rest of this entry »