Posts Tagged ‘sociedade’

Quem aposta na política?

    Se o escândalo ganha espaço no mundo, a história se torna parceira do inesperado. As instituições criam regras, mostra que existem limites. No entanto, há agonias marcantes. O movimento não dispensa as transgressões. A cultura busca equilíbrios. Eles são passageiros. Como fica o medo do inesperado? Vivemos a política numa sociedade que fermenta […]

Read the rest of this entry »

Eu me refugio, nós nos refugiamos: despertencimentos

  A sociedade continua seu cotidiano com práticas que desmontam esperanças. As notícias deixam a melancolia flutuar e as pessoas correm para o trabalho sem saber o ponto final. Todos estamos procurando refúgio, num vaivém de exclusões contínuas. Fala-se em democracia, mas a memória lembra totalitarismos constantes. É claro que as máscaras são fabricadas com […]

Read the rest of this entry »

O amor é líquido ou está desamparado?

    São muitas as discussões sobre o sentido da vida. Difícil é fixá-lo e sentir as transparências, Será que temos um destino? Prefiro afirmar que temos história, não goste de fatalidades e cultivar tempos que aprisionam. Sei que a felicidade não é plena, talvez esteja num paraíso imaginado, porém é saudável não mergulharmos em […]

Read the rest of this entry »

Bolsonaro não está no vazio

  A grande ilusão de se achar dono da verdade traz ameaças. Não se descuide de Jair. Ele faz das tripas coração e possui poder de convencimento. Não esqueça que a mídia seduz. Há quem aposte nas suas concepções. Os torcedores do autoritarismo conseguem espaço e reforçam barbaridades. A sociedade divide-se, não se esconde do […]

Read the rest of this entry »

A aldeia global gira a solidão

    A sociedade gosta das novidades. Não aprofunda a razão da inquietação constante. Não observa a superficialidade do mundo das mercadorias. Passeia pela rua com medo da violência e se refugia na lojas para se distrair e sonhar com o consumo. O cotidiano é melancólico, porque há muitas permanência e poucas ousadias. As novidade […]

Read the rest of this entry »

De onde vem a revolução?

  Os gregos aristotélicos não pensaram na revolução. Havia mitos e deuses com travessuras, mas nada de transformar radicalmente o mundo. A história passa. Nos tempos do iluminismo,a burguesia quis assegurar seu lugar político. Precisava tomar conta da sua riqueza, dá uma empurrada nas tradições da nobreza. Organizava-se para introduzir práticas diferentes, invadir a economia […]

Read the rest of this entry »

O machismo no espetáculo global

    Somos exportadores de machismo, atores de agitações inesperadas. É a nova revelação das redes sociais, indignadas com a ação de pessoas nada saudáveis.  Os vídeos circularam de forma provocante e vimos que há divisões. O machismo é um comportamento agressivo, mas cheio de adeptos. Não pense que houve uma grita geral.  Se existiu […]

Read the rest of this entry »

A ligação no BBB

      Todo ano o espetáculo invade casas, mentes, sonhos. Não há como deixar de lado. A população gosta de saber da vida privada. Os boatos circulam, pois a sociedade não consegue superar seus vazios. Portanto, o negócio é viver a vida dos outros, soltar-se de si e tentar consagrar afetos alheios. Torna-se uma […]

Read the rest of this entry »

Aécio sem ingenuidades: o vasto mundo

    A situação tornou-se bem incômoda para o PSDB. Será que os peixes grandes estão na rede? Lula foi preso, mas ficou muito coisa no ar. Aécio tem culpas estabelecidas . Gostava do papel de ingênuo. Suas travessuras são antigas. O governo de Minas deixou marcas de muitas suspeitas. Ele queria ser presidente. Armou […]

Read the rest of this entry »

As quadrilhas não vivem sem estratégias

  Cada dia uma surpresa. Manobras que atingem o cerne da ética. Decepções gerais, mas muita gente rindo da manipulação constante. Derrubaram Dilma. A estratégia era ampla. Segue armando escorregões. Parece que não há como punir. A justiça tropeça. Ha opiniões múltiplas e uma mídia fragmentada. Diante das frustrações, a sociedade se desmantela. As necessidades […]

Read the rest of this entry »