Posts Tagged ‘sociedade’

Encruzilhadas: direita, esquerda, amarelo, vermelho, verde…

Há debates políticos que pareciam pertencer ao século passado. Quem apostava na divisão esquerda/ direita era, muitas vezes, ridicularizado. As medidas, agora, são outras. As conversas devem ser atualizadas ? O muro caiu, a Guerra Fria se despiu, a coca-cola está em toda parte, a China se veste com o capitalismo. De repente, os debates […]

Read the rest of this entry »

Quem se lembra dos refugiados?

  Fico olhando a sociedade e não me esqueço que o mundo gira. Não basta cuidar das nossas artimanhas e falar mal dos políticos. Há acontecimentos e relações profundamente globalizadas. Contágios desagradáveis de sofrimentos e perdas de rumo perturbam. Cunha é uma figura estranha, as delações levantam desacertos, a dubiedade invade os espaços sagrados. Isso […]

Read the rest of this entry »

Há uma política no meio do caminho

Vestir uma roupa tornou-se um problema mais do que estético. As cores ganharam significados bastante expressivos do momento das confusões políticas. Usar uma camisa vermelha é uma risco. Não faltam adjetivos violentos e preconceituosos. Você pode ser agredido. Imagine os distraídos, os que não gostam de partidos. Mas quem aposta no charme do verde e […]

Read the rest of this entry »

Os mitos e as histórias das sociedades

  A construção das regras sociais custa tempo. Não há uma harmonia que se estenda e pacifique todos. Na sociedade moderna, a complexidade é grande. Muita gente, objetos, compras e vendas, ambições soltas travam compromissos. Ninguém nega que existem rebeldias. A insatisfação é comum. As vitrines estão armadas para atender desejos. A velocidade tira o […]

Read the rest of this entry »

O velório na política e os elefantes da infância

    Lembro-me de muitas músicas cantadas na infância. Aquela do elefante que incomoda muita gente me traz boas recordações. O elefante me aparece um animal simpático e inteligente. Possui um charme especial, uma memória singular. Já pensou os elefantes tomando o lugar dominante dos homens? Já pensou os elefantes arquitetando prédios, máquinas e reservatórios […]

Read the rest of this entry »

As disputas e os poderes: qual o caminho e o assombro?

A  situação da sociedade mostra que a confusão é generalizada. A falta de maiores definições sociais, a corrupção sem limites, o conflitos constantes entre as crenças assinalam que se abre um mercado cada mais amplo que traz desconfiança. Há uma aposta permanente. Prevalece a lógica da mercadoria. A minoria monopoliza e riqueza aponta que a […]

Read the rest of this entry »

Os olhares dos mil silêncios e espantos

Quem sistematiza a história como um conjunto de fatos perde dimensões incríveis. É preciso  observar os contrastes e não apenas os grande generais e as fortunas opressoras. Há repetições Muitos não se soltam das máximas de Aristóteles, se envolvem com as mesmices em busca de quietude. Esquecem que já houve tantas reviravoltas. Não se pode […]

Read the rest of this entry »

Política e capitalismo: suspeições, artimanhas, redenções

A situação não está apenas confusa. Ela se espalha, transforma a badalada globalização numa sucessão de artimanhas e inseguranças. Sempre desconfiei da ideia de progresso. Observar evolução, numa sociedade cheia  de cartórios, é algo que não convence. Ninguém nega as conquistas tecnológicas surpreendentes.Mas a ciência está  misturada com interesses, não se foca nos benefícios, não […]

Read the rest of this entry »

Todos contam suas histórias

No mundo de muitas informações e surpresas, a história ganha um espaço imenso. Há disputas que se ampliam e decisões marcadas por dúvidas. Quem é mesmo o historiador? Quem se abraça com as verdades e segue escrevendo textos e divulgando pesquisas? É a academia o lugar privilegiado ou ela representa apenas uma hierarquia consolidada de […]

Read the rest of this entry »

Contando as histórias: perdas e desfazeres

Contar a história é sempre um forma de evitar esquecimentos. Não significa que tudo pode ser lembrado, que podemos fazer um catálogo definitivo dos acontecimentos. Sabemos das ambiguidades da memória, sabemos das velocidades que invadem nossos afetos. Mas não custa semear cuidados. Não é apenas o passado que compõe a história. É preciso destacar o […]

Read the rest of this entry »