Temer: os ruídos do apocalipse gravado

 

Temer é chocante. Faltam sensibilidade e consciência mínima. Precisa de fazer um curso com Descartes e ouvir uns conselhos de Freud. Reclama das injustiças e quer ser visto como salvador. Uma figura que merecia uma ficção de terror. Assombra o Brasil, não sei se assusta Marcela. No entanto, possui parceiros estranhos. Penso no individualismo que toma conta desses políticos. Vivem um delírio cínico. Nunca leram Gramsci, Maquiavel, Rousseau. É difícil medir o tamanho da mediocridade. E os pronunciamentos pela imprensa tonta? Não quer acompanhar Maluf? Os pântanos não deixam de criar monstros. As gravações apresentam ruídos e a ética é sadia? Fico observando.

Já  se articulou uma grande campanha obrigatória contra corrupção? Será possível produzir uma vacina para tornar Maia e Temer menos incapazes? Eles persistem, porque sentem-se apoiados. Sentimos os abismos. Eles querem o conforto dos palácios, se envolvem com golpes, são frutos de epidemias. O Brasil convive com fragmentos. Ouviram o excelente vocabulário de Aécio? Tudo é inacreditável. O palavrão não é um mal, mas o Neves deve ser riscado.Convocaria uma Assembleia de anjos e demônios. Acordaria deus que dorme depois do pecado original. Acho que se desculpa pelas suas criações. Não é brincadeira.

Ficar na perplexidade não adianta. Querem eleições indiretas e já apresentam candidatos. FHC reaparece. Outra persona bastante ambígua. Temos saudade de quem antes desconfiávamos  ou achamos pouco eficientes: Leonel, Guimarães, Arraes, Tancredo. A escassez é grande. Eles não podem  ser comparados com a gangue do Congresso.Muitas passeatas nas ruas para animar o sonho. As saudades assanham autoritarismos dos mais brutos. Há quem fale de Castelo, Médici com um afeto enorme….O pessoal da boiada deu um show. Marcelo. o delator cheios de bossas, não entende nada sobre propina. Vestido de vaidades se encontra preso e roendo unhas. Não escapou das grades. Dorme na cidade de Moro.

É tudo surreal, mas Temer se agarrou com os peritos. Chora, abre os olhos, busca os ombros de Padilha, maldiz Janot. Como aliviar a poeira de tantos caminhos esburacados? A Constituição não é obra congelada. Merece respeito, mas o que resta da política? Essa agonia geral transtorna. Chove canivetes. Os jornais estão repetindo opiniões, a Globo admira a exclusividade, os escândalos são cotidianos, a censura persiste, a dubiedade marca as ações. Há vários Temer no pedaço. Cruel demais. Mas o Brasil procura limpar sua honra. Sempre a mistura do lixo com o luxo como mandamento central É urgente uma reforma nos presídios. Talvez as arenas da Copa possam receber tantos presos ilustres membros de uma máfia singular. Seria um ato interessante.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

2 Comments »

 
  • Muito bem colocado o momento e descrições. ” Os pântanos não deixam de criar monstros.” Mas o pior é o monstro social, porque tenta sufocar nossas consciências, tentando aprisioná-las e afogá-las na lama de seus pântanos, constituído de lixos morais

  • Romana

    Grato, pela leitura. Temos que ficar atentos, pois o cinismo é grande.
    abs
    antonio

 

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>