Tudo tem uma história

Não esqueça que a sociedade se movimenta.Ela constrói relações sociais, consegue aproximar valores ou mesmo anular memória. Não há um absoluto, um tempo interminável, perfeições permanentes. A história é um trapézio veloz e o futuro sempre cheio de incertezas. Existem os modismos, as aparências, as necessidade fabricadas, os interesses conflitantes. Os sonhos surgem e se vão, com contradições nunca longe de atingir projetos e desfazer parceria.

Fala-se, insistentemente, no fascismo. Não se trata de vitrine vazia. Busca-se o século passado. Ninguém nega que a violência que invadiu as primeiras décadas do século XX. O autoritarismo se espalhou. Nem mesmo as experiências socialistas fugiram das intrigas e das armadilhas.Muitas perseguições, intolerâncias, assassinatos, disputas marcadas pela crueldade, colonialismos ativos e traiçoeiros.

O fascismo anima certas pessoas. Gostam da ordem, da opressão, da egolatria. Os preconceitos culturais se atiçam com justificativas mesquinhas. Uma esquizofrenia geral que toca e assusta as sociabilidades. Jair curte agredir. Celebra o passado das ditaduras como uma grande festa da política. Possui seguidores fanáticos, conquista evangélicos, exagera os dotes salvacionistas.

Visite a memória, observe a degradação, as guerras mundiais, os crimes cinicamente elaborados por cientistas. Lembre-se dos campos de concentrações, dos delírios dos racismos. O retorno do fascismo é sinal que as vinganças se firmam. O poder se consolida atraindo, seduzindo, dispensando racionalidades. O diálogo com a história, traz lucidez, desperta desejo de olhar cada fragmento da vida e pensar nas possibilidades. A violência tem o desenho do apocalipse. É uma ameça que desencanta.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>