Você conhece as andanças do Jair?

 

Resultado de imagem para jair bolsonaro

 

 

A eleição presidencial ganhou um campo de atitudes inusitadas. A agressividade está nas ruas. As cores são punidas com reações amedrontadoras. Jair estimulou um discurso nada saudável. Soltou o verbo com se estivesse livre de qualquer punição. Tem apoio e se alarga nas suas ameaças. Sofreu uma facada que estimulou polêmicas. Está adiante nas pesquisas, porém há denúncias contra suas ações. Haddad busca responder, tomar fôlego, redimir erros passados do PT. Tudo ferve, pois as urgências cotidianos agitam os mais serenos. Surgem tropeços e ilusões.

Ninguém sabe até onde vai tanta incerteza. Jair foi um deputado medíocre, nada demonstrou da sua inteligência política no sentido de espalhar um pensamento democrático. Desenhou caricaturas. Muitos o comparam a Trump. Não esqueça que os Estados Unidos possuem outras estruturas e há reações aos desmandos do governante. Jair não tem medida ou ensaia se tornar uma lenda. Anuncia que aumentará as garras do capitalismo. Não nega seu horror a Cuba, afirma também uma misoginia radical, desafia a Globo, sente-se dono do pedaço. Será?

O antipetismo trouxe espaços para as ideias autoritárias crescerem e seduzirem. Há uma fanatismo que atraí religiosos e Jair consolidou uma imagem. Apesar das controvérsias, os movimentos de reação não se foram e as ruas apresentam pessoas indignadas com os delírios preconceituosos. O final da campanha promete uma escalada de polêmicas incontroláveis. A mídia se move, procurando escapar das condenações. A turma do Jair não perdoa. Empurra grana, quer a vitória, transmite raivas, cria circos. A instabilidade deixa feridas na reflexão.

Convivemos com tensões em elevadores, restaurantes, lojas. Parece um guerra civil pós-moderna. Será? Acho que os ressentidos  vestem suas perdas, detonam suas frustrações, numa luta de interesses gigantesca. São muitas as dissonâncias que difundem o medo. Jair não é nacionalista, exagera e engana. Os negócios comandam seus projetos. Mas avança no convencimento de grupos. Gosta de dogmas, tem cara de fantoche, é uma mistura indefinida. Está de que lado? Quer salvar o capitalismo e serve a senhores bem escondidos. O trapézio balança com rapidez. A política droga-se com o mercado e a tecnologia.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>