Posts Tagged ‘cotidiano’

Mensalão, política, dúvidas, desmantelos

Ninguém conhece uma sociedade perfeita, sem desmantelos ou desacertos cotidianos. Destaquem-se os grandes centros dos tempos atuais, os governos negociados nos detalhes, as disputas por cada milímetro do poder. Não é novidade que haja manobras e corrupções. Cobra-se uma ética, um comportamento transparente, mas tudo isso se perde nas inquietações sem respostas daqueles que se […]

Read the rest of this entry »

As neves do Kilimanjaro: a culpa e o inesperado

A arte traz uma sensibilidade que anima a vida e redefine desmantelos. Foge de padrões, coloca desafios, amplia a imaginação. Ela expressa sentimentos que se achavam escondidos, surpreende os conformistas, nos mostra a complexidade e beleza do mundo. Suas narrativas multiplicam interpretações, retomam significados, aparentemente, sepultados, individualizam questões. Tiram-nos de uma objetividade cansada de apatias […]

Read the rest of this entry »

Concepções de mundo, compromissos intelectuais

A morte recente do mexicano Carlos Fuentes acedeu lembranças e debates. Fuentes era comprometido, fazia críticas aos desmandos dos governantes, além de escrever com maestria. Ficou uma saudade imensa, mas seus livros circulam e provocarão outras leituras. Não serão vítimas de silêncios. Ganharão traduções, significados mais contemporâneos e mostrarão  que os intelectuais não devem recuar […]

Read the rest of this entry »

As comunicações televisivas e as aventuras cotidianas

As comunicações estreitam laços e criam códigos de convivência. Transformam sociedades quando passam por mudanças rápidas. Deixam tradições sem lugares definidos, desenha sociabilidades renovadoras. Vivemos, numa época, carregada de invenções. As ligações diretas aumentam, esvaziando aqueles conceitos de distância. Eles parecem pertencer aos primórdios da cultura. Não temos tempo de refletir sobre o que faremos […]

Read the rest of this entry »

A violência e o sistema: sustos cotidianos

Seria um delírio afirmar que a violência não se fez presente em toda história. Não é apenas nos grandes centros urbanos que ela se espalha. Há cenas de agressividade e destruição até em lugares considerados mais silenciosos e harmônicos. Ela não se restringe a guerras de grupos, disputas de criminosos, emboscadas de quadrilhas. Há gestos surpreendentes que […]

Read the rest of this entry »

Qual a medida da felicidade cotidiana?

Notícias de pesquisas divulgam que o brasileiro considera-se feliz. Conseguiu uma nota destacada no esquema da avaliação da pesquisa de opinião pública. Mostra que a sociedade caminha, aparentemente, sem tormentas expressivas. Os dissabores não tiram a vontade de viver, desenham descompassos passageiros. Há mais otimismo do que desesperos? É um sinal da cultura que existe circulando […]

Read the rest of this entry »

Beliscões, ordem, beijos, folia…

Sou um observador do cotidiano. Acho seus detalhes fundamentais para quem apreciar as histórias. Não só nos aspectos acadêmicos, mas nas experiências de vida, nas diferenças de hábitos. As pessoas procuram vivê-lo enganando os sufocos e procurando ânimos. Portanto, nem sempre me empolgo com os grandes acontecimentos. Desconfio das manchetes que vendem  jornais. Os tempos […]

Read the rest of this entry »

A rebeldia e a repetição não se largam do cotidiano

Nas festas especiais do consumo de tudo acontece. Os shoppings ficam marcados pela avidez da grana, mas também se sente ameaçado pelas multidões ausentes do fluxo maior dos bens materiais. Há silêncio sobre os descontroles. A imprensa divulga os êxitos, o maior poder de compras das chamadas classes C e D, as últimas novidades vindas […]

Read the rest of this entry »

Desleixo fugidio e arcanjos vadios

                                               Não corte a vida em pedaços que você não conhece.       O sabonete tem o mesmo cheiro e a água fria faz o corpo acordar para o           mundo.        O dia não esconde, sem esforço, o sol que se espalha atrapalhando as        sombras.         A  preguiça ficou estendida na […]

Read the rest of this entry »

O difícil cotidiano das múltiplas imagens e saídas

 Na medida em que a cultura ganha em complexidade multiplicam-se suas formas e suas cores. Consolida-se a fragmentação crescente. Não dá para compreender tantas relações. Ampliam-se os olhares de estranhamento. Não é , sem razão, que a esquizofrenia atinge uma parte expressiva da população. Nossos entrelaçamentos se instituem com diferenças e semelhanças. Há coisas que provocam antipatias, […]

Read the rest of this entry »