Posts Tagged ‘olhar’

O silêncio secreto

Nunca se compreende o que o inacabado esconde, não há testemunho, nem adivinhações que firmem a eternidade. Cada absoluto sonhado é um fuga solta e freudiana, traz a fantasia do manto colorido da origem. Não prenda o tempo em paraísos e desertos vazios, transcenda-se na sua história como uma cartola mágica. A medida da vida […]

Read the rest of this entry »

Italo Calvino: os pertencimentos flutuam?

O discurso da mudança faz sucesso. A questão é saber como será sua execução. Não queremos apostar no negativo. É importante que os caminhos sejam traçados sem tergiversações. Há muitas flutuações que marcam a política, depois da disputada campanha eleitoral. Tudo tem uma velocidade espantosa  ou a quebra das tradições trazem perturbações nas escolhas dos […]

Read the rest of this entry »

O mundo espia o mundo na felicidade anônima

Cada sociedade anima suas curiosidades. Ninguém é indiferente, desinteressado pela diversidade do coletivo. A vida dos vizinhos promove especulações. O grande desafio é pensar que, apesar de tanta massificação, o mundo está cheio de divergências e mesmo que atmosferas tediosas façam parte do cotidiano. Não existe um único ritmo permanente. Espiamos o que nos aparece, com ares de […]

Read the rest of this entry »

O paraíso mora na cadeira de balanço

Gosto de observar as coisas. Ganho horas, contemplando objetos e imaginando situações. É uma meditação, sem regras ou anseios religiosos. Um estar-no-mundo, sem metafísicas, mas com a empatia estimulando o pulsar da vida. Não bastam ruídos, para as transformações ocorrerem e os sentimentos movimentarem-se. Há interioridades que fervem e objetividades frias. Escravizar-se, com as determinações […]

Read the rest of this entry »

O mundo visto das janelas e os seus olhares

Há milhões de rostos ocupando os espelhos do mundo. Gestos soltos acompanham caminhadas em buscar de saber o que restou do corpo. O tempo passa e fabrica rugas e inércias. O rosto e corpo conectam-se com cremes milagrosos, mas com validades efêmeras. A alma continua moribunda, alarmada com tantas preocupações. O visível mostra ruínas, o […]

Read the rest of this entry »