Posts Tagged ‘deuses’

O corpo do universo

O corpo cai como uma estrela perdida na dor do universo. As mortes anunciadas decretam o fim de  alguma coisa solta nas emboscadas dos cinismos medonhos e traiçoeiros. Há um desprezo pela história vivida, pela tradição arruinada, o mundo se reparte em incertezas cotidianas e mesquinhas. Trago-me como uma pergunta sem resposta definida, sem acreditar […]






Share Read the rest of this entry »

A água, o mundo, o vazio

As águas correm fazendo caminhos, e não há certezas de sonhos, mas dúvidas que navegam soltas. O mundo parece viver um delírio fechado, como uma esquizofrenia derrotada e sem fim. A vida não se alimenta, está faminta e sufocada. Cada deus escolhe sua verdade e chora seus desacertos. Há demônios cínicos que se guardam em […]






Share Read the rest of this entry »

Os deuses e os anjos: desejos, dúvidas, crenças

Não tenho intimidade com os deuses. Olho as crenças de longe. Respeito quem crê, mas suspeito bastante do caráter de quem finge crer. Sou partidário de uma história indefinida. Não sei quem é a criatura, nem quem é o criador. Os deuses existem para preencher nossos vazios, estimular obediências, exaltar o sagrado. Sou ético, solidário, […]






Share Read the rest of this entry »

O desengano dos deuses

Quem adormece na eternidade esquece o que criou e se perde num sonho inacabado e destruidor. Não pense que os  deuses se inquietam, mas estão tontos , como se houvessem se descuidado do tempo. Há sinais de que o mundo se apavora e  fecha as portas, há sinais de que os labirintos estão cheios de […]






Share Read the rest of this entry »

Bolsonaro: a memória incomoda

  Não esqueçamos de acontecimentos que decidiram nossa época. Não fiquemos parados no presente deslumbrados com  intrigas inexplicáveis. Há memórias, experiências marcantes. É preciso aprender sempre. Não estamos acabados, nem nunca estaremos. Não espere que os deuses desçam do céu. Eles negam a agressividade e curtem paraísos. Nós frequentamos um mundo, que dispara novidades, embriagado […]






Share Read the rest of this entry »

Fascismo: a travessia do cinismo e da violência

  Quem inventa notícia, inventa história. Não se trata de debater sobre a verdade e a mentira. Elas estão submersas numa escuridão profunda. A sociedade luta, muda de lado, sente saudades de Marx, mas se lembra de Hitler. A violência não se vai, pois encontra abrigo na Turquia, na Síria, na França, no Brasil… A […]






Share Read the rest of this entry »

Estou por aqui

Pergunto ao tempo o que me incomoda, não me interesso pela resposta, nem me sinto contemplado. Observo que a agonia da incompletude cria  a cultura, e que há regras que levarão depois ao desatino. Desestabeleço medidas e apago fingimentos, com firmeza, nada mais cruel do que um espelho sem moldura mínima. Visito a moradia das […]






Share Read the rest of this entry »

O peso do dia

O peso do dia não revela sua medida, o tempo esconde segredos e sentimentos. Não há como desfazer as diferenças que se fixam, nem afirmar o sentido que está atrás do espelho. Os deuses se acomodam em paraísos privados, estimulam a culpa e o perdão, estão perdidos. A vida passa desenhando distâncias cínicas, o corpo […]






Share Read the rest of this entry »

O caos sem resposta

No caos que desmonta o infinito a mentira monopoliza os desejos sem destino. A escolha é jogo quando os valores apagam as crenças e acumulam o lixo, o espelho que prende o segredo se parte como uma escultura maldita. Não pense que cada passo é a história buscando saberes, o delírio da verdade embriagada, não […]






Share Read the rest of this entry »

Encantamentos soltos

Não deixe que o cerco do não empurre sua vida para o abismo. Corte o excesso, visite a serenidade, encante-se com o bem-querer. Cada dia é um anúncio que, magicamente, a vida continua e as travessias guardam segredos que podem amedrontar. Há no futuro desconhecido uma profecia que definirá os tempos, não deseje adivinhá-la, se […]






Share Read the rest of this entry »